FanFictions Wonderland

Gostas de escrever e/ou ler FanFics? Então junta-te a nós e entra neste mundo de Kpop, Jmusic e fantasia ^-^
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 [Super Junior] Electricity (Double-shot)

Ir em baixo 
AutorMensagem
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Ter Jun 28, 2011 11:52 pm

Apresentação ~

Música:


Electricity ~


I.

Cho Kyuhyun.

Ele sempre teve tudo o que quis. Sem grandes esforços, tudo o que ambicionava acabava por ir parar-lhe às mãos, como que por magia. Ele desejava algo ou alguém e bastava-lhe estalar os dedos para os ter. Tão simples quanto isso.

Sorte? Talvez.

O que quer que fosse, eu estava disposto a mudar isso. Eu queria vê-lo perder, nem por uma única vez que fosse. Queria vê-lo desejar alguma coisa que nunca iria ter, por mais feitiços que lançasse.

E o que é que ele iria mortalmente desejar que nunca iria ser seu?

Eu. Lee Sungmin.

(Ou, pelo menos, eu assim pensava… )

~~

O jovem estava entretido a analisar o sucesso dos seus últimos investimentos na bolsa com um sorriso vitorioso nos lábios fartos, quando alguém bateu de leve na porta do amplo escritório.

- Entra Donghae! – Ele disse, quebrando o sorriso e afastando os olhos do ecrã do computador para os enterrar numa pilha de contractos que tinha ali ao lado, à espera de serem assinados.

Um rapaz moreno, ligeiramente mais baixo do que ele entrou no escritório e fechou a pesada porta de madeira antes de avançar timidamente pela carpete cor de vinho até ficar à frente da mesa do chefe. Fez uma vénia antes de começar a falar.

- Kyuhyun-sshi… acerca daquelas acções da família Lee que queria comprar… - Começou hesitante, com medo da reacção do mais novo quando lhe contasse as pretensões do filho do recém falecido sócio das empresas Cho, Lee Seungjin. – O filho do Lee-sshi diz que não vai vender nada…

- Quê? – Kyuhyun arregalou os olhos para o secretário, furioso com o que tinha acabado de ouvir. Como assim um miúdo estúpido qualquer que ele nem conhecia, a não ser por ser filho de um dos seus sócios mais importantes, se recusava a vender-lhe as acções que lhe permitiriam exportar as filiais da empresa para a Europa? Será que o desgraçado tinha noção do negócio que iria fazê-lo perder? – Como assim esse desgraçado não vende? Fá-lo vender custe o que custar Lee Donghae! – Ordenou, tentando conter a vontade de bater no rapaz à sua frente, pela sua incompetência.

- Calma Kyuhyun-sshi. – Donghae pediu, recuando um passo e erguendo as mãos em sinal de defesa. – Ele só disse que não vende nada sem antes falar consigo… frente a frente.

Kyuhyun suspirou pesadamente, ajeitando os seus óculos graduados estilo nerd, que por acaso caiam bastante bem no seu rosto delicado, dando-lhe um ar mais simpático. Encostou-se melhor na cadeira e olhou o secretário.

- É impressionante como essa cambada de desocupados acha que eu tenho tempo para tratar de tudo pessoalmente, aish~! – Queixou-se.

- Desculpe. Os seus advogados já se reuniram com ele mais do que uma vez, mas ele insiste em tratar de tudo pessoalmente consigo. – Donghae voltou a dizer, aproximando-se novamente agora que o perigo tinha passado e o chefe parecia mais calmo.

- Marca com ele hoje à noite. – Kyuhyun informou, depois de pensar por um pouco. Se não fosse algo tão importante nem perderia tempo com o idiota, mas já que dele dependia o investimento no amplo e rico mercado Europeu, não se podia dar ao luxo de não comparecer.

- H-hoje Kyuhyun-sshi? – O secretário vacilou. – Mas, hoje… tem aquele jantar de família… o aniversário da sua tia, a sua mãe já ligou oito vezes para o escritório para se certificar que o Kyuhyun-sshi vai e… - Donghae foi interrompido pela gargalhada trocista do mais novo.

- Donghae hyung, só tu para me fazeres rir. – Kyuhyun continuou divertido, afrouxando o nó da gravata azul escura. – E tu achas que eu troco um negócio por um jantar patético, a aturar as minhas tias, tios, primos e sei lá mais que raio? – Ele esboçou uma expressão enjoada e depois um sorriso malicioso. – Eu garanti à minha mãe que ia para ela não me chatear. Mas as minhas intenções verdadeiras eram outras. – Explicou. – Tu achavas mesmo que eu ia? – Kyuhyun fitou incrédulo o rapaz.

Donghae acenou positivamente com a cabeça em resposta à pergunta do chefe.

- Pffff! – Kyuhyun riu outra vez. – Por favor hyung…

- Com todo o respeito Kyuhyun-sshi… tu não vales nada! – Acusou, apontando-lhe o dedo.

- Poupa os elogios hyung. Marca lá a reunião com o filho do Lee. – Ordenou e Donghae virou-lhe costas, caminhando em direcção à saída.

Kyuhyun ficou a pensar em Donghae. Como é que ele ainda podia ser tão inocente depois de trabalhar consigo há já três anos? Como é que ainda podia acreditar nas suas supostas boas intenções? Ele, Cho Kyuhyun, era o maior filho da mãe, o próprio reconhecia isso. E gostava.

- Essas acções vão acabar no meu nome… ou não me chame eu Cho Kyuhyun…

~~

Cho Kyuhyun mal podia acreditar no que os seus olhos castanhos brilhantes tinham à frente. Levantou uma sobrancelha, analisando atentamente o local bastante bem iluminado com letras brilhantes e luzes de néon, antes de desviar o olhar para o rapaz ao seu lado, quase o fulminando com as orbes por o que ele pensava ter sido mais um engano do secretário.

- Lee Donghae, explica-me porque é que parámos à frente de um bar! – Pediu, tentando não perder a paciência.

- Eu não me enganei! – Donghae defendeu-se. – Este é o local onde o Lee-sshi marcou a reunião… tenho a certeza. – Acrescentou depois, estreitando os olhos para o rapaz ao volante.

- Isso quer dizer que o estúpido do filho do Lee quer tratar de negócios importantes… num bar… - Kyuhyun comentou, desacreditado. – Se continua assim vai longe… - O moreno abanou a cabeça em sentido negativo, ao mesmo tempo que retomava a marcha, estacionando o seu Audi R8 negro ao lado da entrada do bar.

Kyuhyun saiu do automóvel, sendo seguido de Donghae que carregava uma pasta negra cheia de papelada importante.

- Kyuhyun-sshi, não achas que isto está… parado demais? - O mais velho comentou, apressando o passo para acompanhar o chefe.

- É sinal que ele teve a decência de reservar o bar para não sermos incomodados. Ao menos isso. – O maknae respondeu, aproximando-se da porta barrada por um homem corpulento vestido de negro.

- Este bar é privado. Queira dar-me a sua identificação, por favor. – A voz grossa e arranhada do homem fez-se ouvir.

- Cho Kyuhyun. – O mesmo rolou os olhos, cada vez com menos paciência.

Ao ouvir o nome o homem afastou-se para o lado, dando-lhes espaço para entrar, curvando-se à sua passagem.

À medida em que avançavam para o interior do edifício, uma música de fundo ia-se tornando cada vez mais nítida. Donghae seguiu o chefe pelo corredor escuro até encontrarem a entrada para uma ampla sala. Kyuhyun afastou uma pesada cortina vermelha e estavam enfim diante da sala principal.

O ambiente era acolhedor. A decoração agradável. A iluminação era apenas a necessária e quase toda ela feita por velas, espalhadas milimetricamente pela sala. Havia um espaço reservado para dançar livremente, a um dos cantos da ampla sala. A zona do bar, onde um balcão extremamente comprido separava as prateleiras, cheias de copos de todos os tamanhos e feitios e as mais variadas bebidas, da zona acessível aos clientes. Do outro lado, pequenas mesas, cadeiras e assentos facilmente maneáveis e ao fundo, mais afastado de tudo, a zona privada, com mesas maiores e sofás confortáveis. Era mesmo nesse canto da sala que dois rapazes, um loiro e um moreno, esperavam os seus convidados.

Assim que os viu parados à entrada, o loiro levantou-se e, com um sorriso simpático nos lábios, aproximou-se.

- Boa noite. – Cumprimentou ao ficar frente a frente com os recém-chegados. – Cho Kyuhyun-sshi? – O rapaz da frente acenou com a cabeça, mas ele ainda não conhecia o outro. – E…? – Quis saber.

- Lee Donghae. – O outro rapaz chegou-se à frente com um sorriso afável e cumprimentou-o.

- Muito prazer. – O loiro retribuiu.

- Lee Sungmin? – Kyuhyun perguntou, não querendo perder tempo com conversas da treta e sorrisos amarelos. Olhou o loiro de alto a baixo com desdém, mas reparando que ele até tinha bom gosto pelo fato italiano, preto com botões de punho em prata, que estava a usar.

- Não. – O loiro negou. – Eu sou Lee Hyukjae. Por favor tratem-me por Eunhyuk… - Disse, mantendo o sorriso.

“Que raios é «Eunhyuk»? – Kyuhyun pensou. Que género de pessoa é que prefere ser chamada por um apelido ridículo em vez do nome verdadeiro? Suspirou. E depois ainda querem ser levados a sério…”

- Eunhyuk-sshi, muito prazer em conhecê-lo. – Outra voz soou, animada.

Kyuhyun desviou os olhos para o secretário ao seu lado. “Era impressão sua, ou Donghae estava a meter-se com o tal Eunhyuk, que também não descolava os olhos dele?”

Donghae perdeu o sorriso quando sentiu o olhar mortal que o chefe lhe lançava. Encolheu-se no seu lugar.

- Lee Sungmin é o meu primo. – O loiro continuou. – Ele está logo ali, por favor sigam-me.

Donghae engoliu em seco quando os olhos de Kyuhyun voltaram a fulminá-lo, antes de ele seguir o loiro até uma das mesas mais afastadas, onde um rapaz esperava, sentado de costas para eles, distraído a brincar com a cereja que enfeitava o seu cocktail.

Sungmin ouviu o som dos passos a aproximarem-se. Sorriu satisfeito ao espreitar pelo canto do olho e ver Kyuhyun caminhar em passos firmes na sua direcção, com o seu ar superior e altivo característico.

Eunhyuk parou ao seu lado. Sungmin aproximou a cereja dos lábios. Eunhyuk sorriu aos dois convidados. Sungmin mordeu o fruto, manchando os lábios com o sumo vermelho vivo. Eunhyuk aclarou a voz, preparando-se para falar. Sungmin fechou os olhos, ao mesmo tempo em que deixava a língua deslizar pelos lábios, limpando-os da cereja.

Kyuhyun sentiu um choque de adrenalina percorrer toda a extensão do seu corpo assim que os seus olhos encontraram a figura do rapaz de cabelos pretos.

A música soava de fundo, bastante apropriada.

“Let me touch you
And give you electricity”

“Fo.da.sse!” – Kyuhyun praguejou em pensamentos. Que raio de sensação mais estranha fora aquela? Não que ele fosse supersticioso, mas poderia aquilo ser um sinal de que o negócio que estava prestes a fazer ia correr bem? Ou ia correr mal?

Kyuhyun descartou a última hipótese. Jamais um negócio de Cho Kyuhyun corria mal. Sorriu mais satisfeito, resolvendo ignorar aquele feeling.

Estranhamente, em tudo o que havia naquele bar para ele se concentrar, acabou por deter-se no rapaz sentado, o tal Sungmin. Arregalou os olhos.

Que raios estava o desgraçado a fazer com aquela língua obscena fora da boca avermelhada? De olhos fechados, os fios negros tapando-os de leve. A cabeça encostada para trás confortavelmente.

Os olhos de Kyuhyun foram encolhendo, à medida em que o queixo lhe caía e ele parecia enfeitiçado pelos simples gestos de Sungmin. Este sorriu, notando os olhos dele sobre si.

- Sungmin hyung, o Cho Kyuhyun-sshi chegou, juntamente com o Donghae-sshi. – O loiro voltou a sorrir ao secretário de Kyuhyun.

- Oh! – Sungmin vociferou, sacudindo as pontas do cabelo sedoso que lhe caiam sobre os olhos enquanto se levantava e ficava de frente para as visitas. – Boa noite Kyuhyun-sshi, Donghae-sshi. – Cumprimentou, curvando-se com um sorriso.

- Boa noite Sungmin-sshi! – Donghae apressou-se a retribuir.

- Sentem-se, por favor! – Sungmin indicou-lhes os assentos livres na sua mesa. – O que é que querem beber?

- Posso sugerir-vos o cocktail especial do bar? – Eunhyuk ofereceu, aproximando-se de Donghae.

- Claro que sim! – Donghae apressou-se a aceitar, entusiasmado.

- Whisky. – Kyuhyun pronunciou-se. – Com gelo.

Eunhyuk sorriu-lhe.

- E tu Minnie, outro cocktail? – Virou-se para o primo.

- Não. Traz-me um whisky também. Sem gelo. – Sungmin sorriu ao primo e depois aos dois rapazes à sua frente.

~~

Duas horas depois. Muitos whiskys e cocktails depois. Muita conversa depois. E nenhum acordo.

Kyuhyun passou as mãos pelo cabelo, desorganizando as ligeiras ondulações que os seus fios formavam. Suspirou e tirou uma nova folha branca da pasta, pegando numa caneta para começar a reescrever uma espécie de contrato provisório.

Sungmin aproveitou para o observar, tão concentrado na sua tarefa. Sorriu internamente.

Ali estava ele, o poderoso Cho Kyuhyun, a escrever com a própria mão contrato atrás de contrato, mais um para Sungmin rejeitar sem sequer se preocupar muito em ler. Teve vontade de rir da situação, aquilo era engraçado.

Kyuhyun parou de escrever por um instante, ajeitando melhor os óculos. Sungmin deteve então a sua atenção no rosto do rapaz à sua frente. Aqueles óculos podiam acabar com o rosto de uma pessoa qualquer, mas apenas davam mais charme e um ar mais intelectual e sério ao empresário. Ficavam-lhe bem. Bastante bem.

Kyuhyun era todo ele atraente. Boa estatura corporal e um rosto delicado, pálido e bonito. Os olhos eram brilhantes e pareciam esconder neles um outro Kyuhyun, vivaço, divertido, alegre, contrário do Kyuhyun cruel e duro que ele realmente mostrava ser.

Sungmin abanou a cabeça e deu mais um gole no whisky, tentando não perder o foco e se concentrar no seu objectivo ali. Nada de vacilar e, principalmente, não cair por ele! (Era tão difícil!)

- S-Sungmin-sshi, reavalie por favor. – Kyuhyun empurrou o papel recém escrito para a sua frente, mordendo a língua para não o mandar para o inferno por fazê-lo ter de pensar noutras soluções e reescrever a merda do contrato vezes em conta. – E pondere bem… eu não tenho tempo a mais para perder!

- Com licença… - Um voz trémula chamou a atenção de três pessoas na mesa. Era Donghae, que estava mais branco do que a cal. – Eu não me sinto muito bem… eu acho que… preciso sair daqui.

- Donghae-sshi! – O rapaz loiro foi o primeiro a se levantar e a correr para junto do moreno. – Está tudo bem? Eu levo-te à casa de banho para molhares o rosto!

- O-obrigado Eunhyuk-sshi! – O moreno agradeceu, apoiando-se no outro, que o ajudou a chegar até à casa de banho.

- Sungmin-sshi! – Kyuhyun chamou, num misto de cansaço e irritação. – O contrato! Leia e assine… - “essa merda de uma vez por todas filho da mãe!” – Completou em pensamentos.

Sungmin pousou o papel em cima da mesa, relaxando os braços em cima da estrutura de vidro.

- Sabe Kyuhyun-sshi… eu ainda não estou totalmente convencido acerca deste negócio. – Começou, brincando com a folha. – E para quê tanta insistência? Este negócio é algum tipo de realização pessoal?

- Quê? – Kyuhyun arqueou a sobrancelha ao ouvir as baboseiras do ser sentado à sua frente. Ele estava a questionar a importância do negócio? Algo no seu interior mandou que partisse para cima do desgraçado e o obrigasse a assinar a merda do papel. Felizmente o seu lado racional impediu-o de fazer isso.

- Sabe Kyuhyun-sshi… eu sei algumas coisas sobre si. – Sungmin continuou. - Sei que é bastante bem sucedido. 25 anos e um império nas mãos. Dinheiro. Reputação. Nunca perde em nada, nunca fica mal num negócio. Bastante sorte, não acha? – Lançou a pergunta, dando mais um gole na bebida cor de mel.

- Onde quer chegar com isso?

- Tem tudo o que quer. Basta-lhe desejar algo e esse algo é seu. Verdade? – Sungmin continuou, ignorando a pergunta dele. – Ah! E gosta de desafios. Nunca recusa um. Estou errado?

Kyuhyun tirou alguns segundos para pensar qual a finalidade de Sungmin estar a dizer-lhe aquilo tudo. O que ele pretendia em questionar sobre a sua imbatível sorte e gosto por desafios?

Sungmin lançou-lhe um sorriso misterioso, ao mesmo tempo em que sacudia as pontas do o cabelo negro que lhe caíam sobre os olhos. Kyuhyun reparou então como o filho do seu sócio era bem parecido. Tinha uns olhos bonitos, brilhantes e doces, mas também tinham algo de misterioso neles, era como se ele escondesse alguma coisa. E Kyuhyun adorava mistérios. Os lábios dele tinham um contorno acentuado perfeito, pareciam um coração. E o rapaz parecia ter um tique qualquer em lambê-los de tempos a tempos. Não que Kyuhyun tivesse controlado que ele passava a língua pelos lábios, mantendo-os húmidos, de cinco em cinco minutos, apenas reparara distraidamente.

Os olhos de Kyuhyun desceram, fitando então o tronco do rapaz à sua frente. Além de bonito de rosto, ele era bem constituído fisicamente. Coxas grossas, que ele reparara quando Sungmin se levantou para os cumprimentar. Ombros largos, braços fortes e peito musculado e… dois mamilos apertados contra o tecido da blusa cinzenta justa que ele usava. Kyuhyun sentiu a boca secar e mais um choque eléctrico pelo corpo. A sua mão pegou rapidamente no copo do whisky à sua frente, bebendo todo o conteúdo de uma só vez.

- Diga-me Kyuhyun-sshi… - Sungmin recomeçou com a sua voz melodiosa. – Alguma vez desejou muito uma coisa que acabou por nunca ser sua? – Voltou a perguntar, enchendo o copo do mais novo com mais bebida.

Kyuhyun sorriu maliciosamente, enquanto despia finalmente o casaco, não aguentando mais o calor.

- Não Sungmin-sshi. – Resolveu responder, bebendo mais um pouco de whisky. – Eu acabo sempre por conseguir o que quero, dê por onde der… - Gabou-se.

Sungmin foi invadido por uma estranha sensação, era como se tivessem feito uma descarga eléctrica no seu corpo. Sentiu-se desafiado. Provocado.

- Ah é…? – Disse, tentando parecer desinteressado. – E o que é capaz de fazer para conseguir o que quer?

- Tudo.

- E como é que é se um dia falhar? Se houver algo ou alguém que deseja, que não conseguir fazer seu?

- Isso nunca vai acontecer.

- Não?

- Não.

- Tem a certeza?

- Absoluta.

A forma implacável com que Kyuhyun respondeu às suas perguntas fez Sungmin vacilar.

- E o que é que está disposto a fazer para eu lhe vender as acções? – Perguntou, engolindo em seco, tentando não olhar directamente para ele.

- O que é que o Sungmin-sshi quer que eu lhe faça para o convencer a vender as acções? – Kyuhyun ripostou, lançando-lhe um olhar estreito ao mesmo tempo em que formava um ligeiro sorriso nos lábios.

Sungmin imediatamente pensou em montes de coisas que Kyuhyun podia fazer para o convencer a vender a porcaria das acções que ele nem queria para nada e que eram tão importantes para o outro. Apressou-se a afastar certos pensamentos indesejáveis na mente. Não podia vacilar! Era ele que tinha de assumir o controle das coisas ali! E não deixar-se ser manipulado por aquele pecado sentado à sua frente.

- Aish~! – Sungmin deixou escapar um suspiro cansado.

- Fazemos assim… - Kyuhyun manifestou-se, tentando conter o sorriso malicioso que denunciava as suas intenções. – Encontramo-nos aqui amanhã e o Sungmin-sshi diz-me o que quer que eu faça para me vender as acções. Pense no assunto. – Kyuhyun levantou-se, pegou na pasta e no casaco, e preparou-se para se afastar, não sem antes se inclinar para ficar próximo do ouvido do mais velho. – Não se esqueça que eu estou disposto a fazer…tudo… o que o Sungmin quiser.

Rapidamente Kyuhyun se dirigiu à saída, deixando um Sungmin ainda em transe sentado à mesa. Ele pegou no copo de acabou com o resto da bebida âmbar. Primeiro, ele tinha-o chamado pelo nome sem usar honoríficos? Segundo, o desgraçado tinha tido a coragem de sussurrar-lhe ao ouvido sugestivamente que faria tudo o que ele quisesse?

“Boa! – Sungmin pensou. Tinha acabado de cavar a sua sepultura. Porque raios tivera a bela ideia de meter-se com Kyuhyun? Não era que o desgraçado era mesmo uma espécie de encantador de pessoas… como é que ele tinha invertido os papéis e o tinha deixado naquele estado tão facilmente?”

- Maldito sejas Kyuhyun! – Sungmin praguejou, atirando o copo de cristal ao chão.

Do outro lado da cortina vermelha, o empresário assistia à frustração de Sungmin com um sorriso satisfeito nos lábios. Abanou a cabeça, condenando o rapaz que tinha acabado de atirar outro copo ao chão.

- Achavas que era assim tão fácil Sungmin-ah? Tens de te esforçar mais… – Riu, virando costas e caminhando até à saída.

Mas Kyuhyun sentiu-se desafiado. Sungmin queria brincar com ele, não era?

Então iam brincar bastante na noite seguinte.

(...)

Então, devo continuar ou chega por aqui? XD

Spoiler do próximo capútulo:

Sungmin sorriu ao desviar os olhos para o outro canto do bar e ver o primo, que supostamente tinha ido atender um telefonema urgente, levar Donghae, que supostamente tinha ido à casa de banho, para o andar superior. Estava tão distraído a imaginar o que aqueles dois iam fazer lá para cima que nem se deu conta que o rapaz ao seu lado se chegou mais para perto, colocando o seu braço sobre encosto do banco, ficando assim como que a abraçar Sungmin.
- E nós Sungmin-sshi… - Kyuhyun sussurrou sensualmente ao ouvido do mais velho. – Vamos também tratar dos nossos negócios, hum?




Última edição por Cho MinTae em Ter Dez 27, 2011 10:10 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Qui Jun 30, 2011 7:27 pm

FIlha da mãe! Mas que direito é que tu tens de parar por aqui e ainda por um spoiler desses?! Eu mato-te! EU QUERO MAIS. JÁ JÁ JÁ. EU SEI QUE TU TENS O PROXIMO CAPITULO POR ISSO POSTAAAAA.
Oh god, eles são todos tão hots, vou morrer. Quando li os dois casais fiquei histerica. Aish mas aquele kyuhyun! Que nojo, juro que o sungmin lhe devia dar para trás -.- Mas ele é um pecado... Só espero que acabe com o sungmin a ganhar \m/
E o donghae... aish, aquele dois... Quero tanto leeer.
posta hoje por favor T-T
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Seg Jul 04, 2011 1:51 pm

Bem, antes de mais tenho de dizer que como isto ficou muito grande mesmo sendo só a parte KyuMin, eu resolvi que vou escrever uma side shot da parte EunHae em separado. Depois posto ^^

E aqui fica a continuação ~~
Perdoem a má linguagem, mas os palavrões melhoram o ambiente *apanha*


II.


- P-posso entrar? – Donghae perguntou relutante, aparecendo à porta do escritório do chefe.

Kyuhyun levantou os olhos do documento que lia e pousou a caneta. Olhou para o secretário ainda parado à porta.

- Que raios se passa Donghae? Desde quando é que é esse drama todo para entrar na minha sala? – Estranhou.

- Eu… pensei que estivesse zangado por eu ter desaparecido ontem à noite… - O moreno explicou, avançando lenta e desconfortavelmente para dentro. – É que o Eunhyuk-sshi levou-me para apanhar ar e depois acabou por levar-me a casa e…

- Ya! Chega por aí! Eu não preciso saber detalhes da tua vida sexual Donghae. – Kyuhyun riu da atrapalhação do outro.

Donghae estranhou aquilo. Desde quando é que Kyuhyun estava de bom humor mesmo sem as acções que queria em seu nome? Que andava ele a planear? Ou… o que é que Sungmin lhe tinha feito? Donghae deixou que um sorriso malicioso brotasse dos lábios mas logo se recompôs.

- Hum… Lee Sungmin-sshi acabou de ligar para confirmar a reunião desta noite. Tudo certo, não houve mudança de planos da sua parte? – Perguntou ao chefe.

- Não. Nada é mais importante do que essa reunião com o Sungmin-sshi. – Kyuhyun sorriu.

- Eu vou também?

- Queres encontrar o primo do Sungmin-sshi? – O mais novo atirou-lhe e Donghae arregalou os olhos em espanto e vergonha. Kyuhyun continuou. – Hoje não preciso de ti, mas podes acompanhar-me já que fazes tanta questão.

- O-Obrigado Kyuhyun-sshi. – Donghae agradeceu e desapareceu rapidamente pela porta.

Kyuhyun sorriu malicioso, encostando-se na sua cadeira. Não podia negar que estava ansioso para a reunião daquela noite.

~~

Ao contrário da noite anterior, as imediações do bar estavam cheias, quer de carros quer de pessoas que, ou conviviam por ali ou esperavam para conseguir entrar dentro do bar. Kyuhyun avançou em direcção à porta sem qualquer problema em passar à frente de toda aquela gente. Donghae ia tentando desculpar-se com todos, enquanto seguia o chefe.

O segurança corpulento, que reconheceu o moreno da outra noite, e já estava avisado para o deixar entrar assim que chegasse, afastou-se da frente da porta e curvou-se à sua passagem. Donghae, gentilmente, sorriu ao homem e curvou-se também.

O corredor que levava à sala principal estava agora mais iluminado e algumas pessoas se detinham por ali, principalmente alguns casais, trocando intimidades. Kyuhyun olhou de esguelha para os presentes.

Assim que passaram pela cortina vermelha, os olhos de Donghae percorreram todo o espaço, à espera de encontrar uma certa figura loira, mas não teve muito sucesso com o bar quase cheio de corpos que se movimentavam de um lado para o outro.

O moreno deu um salto no seu lugar quando sentiu uma mão deslizar pelas suas costas e apertar a sua região traseira. No mesmo instante Eunhyuk surgiu detrás dele e sorriu aos dois.

- Donghae-sshi, Kyuhyun-sshi! Boa noite.

Donghae corou, olhando para o loiro à sua frente e Kyuhyun cumprimentou-o com um aceno de cabeça.

- O meu primo está logo ali, eu levo-vos lá. – Ofereceu, pedindo para que o seguissem.

Donghae não conseguiu evitar que os seus olhos se colassem ao loiro, este privilegiando-o com uma bela vista da sua retaguarda. Agradeceu à t-shirt azul clara bastante justa dele e às calças de ganga pretas que lhe apertavam glúteos e coxas.

- Por amor de Deus hyung, controla-te! – A voz de Kyuhyun soou aos seus ouvidos, tirando-o do seu transe. – Só te falta babar… - Ele riu.

Donghae sorriu-lhe constrangido.

Finalmente os três chegaram à mesa de Sungmin. Este levantou-se para os receber. Kyuhyun aproveitou para analisar as coxas grossas de Sungmin, já que estas lhe tinham agradado na noite anterior. Sorriu, lembrando-se do estado em que o rapaz de cabelos pretos tinha ficado aquando da sua proposta sugestiva. Mas a expressão de Sungmin naquela noite era diferente, parecia mais confiante e despreocupado. Talvez já soubesse o que queria de Kyuhyun… - O mesmo pensou.

- Peço desculpa pela confusão… - Sungmin começou, olhando à volta para o bar barulhento e cheio de gente. – Mas eu não posso fechar duas noites seguidas.
- Não faz mal. – Kyuhyun apressou-se a dizer, ideias pairando na sua mente.

- De qualquer maneira, o bar tem… umas… salas… lá em cima, e se o Kyuhyun-sshi quiser ficar mais à vontade, podemos usá-las. – Sungmin sorriu, tentando parecer inocente, mas o mais novo pôde notar a sua falha em disfarçar o brilho negro dos seus olhos.

- Tudo bem. Por enquanto podemos ficar aqui e beber qualquer coisa. – Kyuhyun disse, fazendo o seu jogo. – Ou o Sungmin-sshi quer apressar já as coisas?

- Não. – Sungmin respondeu, sorrindo ao mais novo. – Eu tenho a noite toda… Kyuhyun-sshi.

- Óptimo! – Kyuhyun disse, finalmente descolando os olhos de Sungmin e sentando-se no lugar previamente ocupado por ele.

- Querem beber o quê? Eu vou buscar. – Eunhyuk ofereceu com simpatia.

- Deixa estar Hyukkie, eu trato disso hoje. Podes sentar-te. – Sungmin cortou o primo. – Permitam-me que vos ofereça uma bebida especial. – Disse, antes de se afastar em direcção ao balcão.

Donghae moveu-se para tentar sentar-se ao lado do chefe, mas sentiu o seu pulso ser agarrado e os olhos do loiro apontando o assento ao lado do seu. Hae baixou os olhos e sentou-se ao lado do primo de Sungmin.

- O Sungmin-sshi é dono deste bar? – Kyuhyun quebrou o silêncio da mesa quando perdeu Sungmin de vista e teve de se contentar com a vista de Eunhyuk e Donghae.

- É. – O rapaz loiro confirmou. – Presente de aniversário do ano passado. O avô é generoso. – Sorriu.

Sungmin voltou então para a mesa com quatro copos habilmente equilibrados nas duas mãos.

- O que é Sungmin-sshi? – Donghae perguntou, recebendo o seu copo com um liquido avermelhado lá dentro.

- Veja se consegue adivinhar Donghae-sshi. – Sungmin sorriu-lhe, sentando-se ao lado de Kyuhyun.

~~

Sungmin sorriu ao desviar os olhos para o outro canto do bar e ver o primo, que supostamente tinha ido atender um telefonema urgente, levar Donghae, que supostamente tinha ido à casa de banho, para o andar superior. Estava tão distraído a imaginar o que aqueles dois iam fazer lá para cima que nem se deu conta que o rapaz ao seu lado se chegou mais para perto, colocando o seu braço sobre encosto do banco, ficando assim como que a abraçar Sungmin.

- E nós Sungmin-sshi… - Kyuhyun sussurrou sensualmente ao ouvido do mais velho. – Vamos também tratar dos nossos negócios, hum?

Todo o corpo de Sungmin estremeceu ao ouvir a voz dele tão perto e a sentir a sua respiração quente bater na pele. Mas ele não se podia deixar desconcentrar pelos charmes e enorme poder de atracção do mais novo. Respirou fundo antes de se virar para o maknae, deixando os rostos bastante próximos.

- Claro que sim, Kyuhyun-sshi. – Sorriu-lhe.

- E então, pensou sobre a minha proposta Sungmin-sshi? Já sabe o que quer que eu faça para o convencer a vender as acções? – O mais novo disse, tentando não soar demasiado sugestivo.

Sungmin olhou-o nos olhos por alguns instantes. Naquele dia Kyuhyun estava sem óculos, por isso faíscas pareciam saltar-lhe dos olhos, tão próximos. Sungmin e Kyuhyun sentiram, quase ao mesmo tempo, uma corrente de adrenalina pulsar nos seus corpos. A respiração do mais velho intensificou-se e ele entreabriu os lábios e humedeceu-os. A tensão crescia a olhos vistos entre os dois.

- Desafio-o a convencer-me à sua maneira. Invente qualquer coisa que me faça aceitar a venda das acções. O Kyuhyun-sshi é um génio, com certeza que pensará em algo bom dentro de alguns instantes. – Disse, ainda fitando o moreno à sua frente.

Kyuhyun contorceu os lábios, reprimindo um sorriso malicioso de aparecer.

- Não se vai arrepender. As minhas capacidades de persuasão nunca falham.

- Vamos ver…

- Sungminnie!! – Uma voz aguda soou e os dois afastaram-se rapidamente, desviando o olhar para as duas pessoas que estavam à sua frente, do outro lado da mesa.

Sungmin engoliu em seco, horrorizado, quando viu o seu irmão mais novo e uma prima dos dois ali.

- Oppa! Annyeong~! – A rapariga loira apressou-se a cumprimentá-lo com um sorriso.

- Ryeowook? Luna? O que é que vocês estão aqui a fazer? Quem vos deixou entrar? – O mais velho dali perguntou, irritado.

- O segurança. – Ryeowook respondeu, como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

- Vocês são menores! Como é que aquele incompetente vos deixou entrar aqui? – Sungmin bateu na mesa e Kyuhyun rolou os olhos, não gostando de ser interrompido logo quando ele e Sungmin estavam num momento mais… quente.

- Hyung! Eu sou teu irmão! Foi só o ameaçar de mandar tu o despedires que ele nos deixou entrar… - Ryeowook riu.

- Nós portamo-nos bem. Até podemos ficar ao pé de ti se quiseres oppa. – Luna disse, sentando-se diante dos dois mais velhos. Ryeowook reparou então que o irmão não estava sozinho. Deu um toque no braço da prima.

- Luna, se calhar nós estamos a incomodar. O hyung está acompanhado.

- Oh! – Ela deu-se conta da sua má educação. – Desculpem. Nós vamos já embora.

- Não! – A voz que ainda não se tinha manifestado soou. – Podem ficar.

Sungmin lançou um olhar mortal ao rapaz ao seu lado, que sorria aos mais novos. Luna sorriu-lhe de volta e puxou o braço de Ryeowook, fazendo-o sentar-se ao seu lado.

- Eu sou a Luna e ele é o Ryeowook. – A loira apresentou-os a Kyuhyun. – Muito prazer!

- Ya! Nada disso! Eu quero-vos já fora daqui e em casa, ouviste Wookie? CASA! – Sungmin interrompeu.

- Ohhh, deixa-os estar Min-ah. – Kyuhyun defendeu-os. – Cho Kyuhyun. – Apresentou-se também.

Sungmin ficou atónito por alguns momentos. Que raio fora aquilo? Kyuhyun acabara de chamar-lhe “Min-ah”? E porque estava o desgraçado a agir simpaticamente para os dongsaengs?

A resposta veio logo a seguir, quando Sungmin sentiu algo pousar sobre o seu colo e pressionar o seu membro por cima das calças. Arregalou os olhos, ao mesmo tempo em que fazia um esforço dos diabos para não gemer, gritar ou algo do género. A sua inquietação não passou despercebida pelo irmão.

- Está tudo bem hyung? – Preocupou-se.

- Algum problema Minnie? – Kyuhyun preocupou-se também, pressionando mais os dedos contra as calças do mais velho, lançando-lhe um falso olhar inocente.

- N-não. – Com bastante dificuldade, ele respondeu. Mentira! Sungmin tinha um problema sim, e dos grandes!

- Então e vocês, que idade têm? – Kyuhyun virou-se para os dois à sua frente, tentando parecer afável, enquanto que a sua mão se aventurava agora com o fecho das calças de Sungmin, tentando puxá-lo para baixo. Sungmin contorceu-se no assento, incapaz de participar na conversa ou até mesmo afastar a mão atrevida do empresário para longe de si.

- Eu tenho 17. – Ryeowook respondeu.

- E eu 16. – Luna disse a seguir. – E o oppa?

- 25.

- Ohh! É da idade do Sungmin oppa! Vocês são amigos? – A loirinha voltou a questionar.

- Hum… - Kyuhyun virou-se para o rapaz de cabelos pretos. – É… acho que podemos considerar essa hipótese… não é Sungmin? – Provocou-o ainda mais, avançando com a mão para dentro das calças dele, tacteando o membro duro com mais facilidade.

- Aish hyung! Tu hoje não pareces estar nada bem… estás todo vermelho e não paras quieto na cadeira. Que se passa? – Ryeowook insistiu.

- O Sungmin hyung está preocupado. Eu sou empresário e nós estávamos a tratar de negócios… o Minnie ainda não está convencido a vender-me umas acções. E eu estou a tentar… duramente… convencê-lo a assinar uns papéis. – Kyuhyun disse, continuando a manipular Sungmin por baixo da mesa.

- Acções? – Ryeowook estranhou, virando-se para o irmão. – Mas tu disseste que não querias as acções para nada…

Sungmin tentou fulminar o menor com o olhar, mas falhou redondamente. Apenas se conseguia concentrar em duas coisas naquele momento: a mão de Kyuhyun no meio das suas pernas e tentar não gemer.

- Que interessante… - Kyuhyun apertou mais o membro de Sungmin, fazendo-o soltar um ofego. – Estás a fazer-te de difícil para mim… Sungminnie? – Riu. – Mas olha que eu sou bem insistente… - Disse, aumentando as carícias lá em baixo.

Sungmin sentiu-se sair fora daquela realidade. Queria matar Kyuhyun por aquilo! Queria matar Ryeowook e Luna por terem aparecido ali! Mas principalmente queria matar Kyuhyun, aquele diabo!

- Hmmm-ah! – Sungmin gemeu, não conseguindo controlar-se mais. Três pares de olhos colaram-se a si. – Meninos! P-por f-favor… dêem-nos licença por um bocado… vão d-dançar, beb-am um sumo…

- A sério oppa? – Na mais pura das inocências, Luna perguntou. – Não temos de ficar perto de ti?

Ao contrário da rapariga, Ryeowook não se convenceu pela gentileza do hyung. Depois reparou que o braço direito de Kyuhyun estava debaixo da mesa… e sempre tinha estado desde o início. Uma ideia passou-lhe pela mente. Analisou a expressão de Sungmin. Fez-se luz na sua cabeça.

- Oh meu Deus hyung! – Ele gritou, levantando-se. – D-Desculpem! Nós não queríamos interromper! Vamos embora Luna, o Sungmin hyung está ocupado.

- Mas… - Luna ficou confusa.

- Anda lá! Vamos deixar que o Kyuhyun hyung resolva o problema do Minnie! – Disse, puxando-a para longe. – Boa noite.

- Ya! – Luna protestou. – Pelo menos deixa-me despedir dos oppas e…

- AGORA Luna! – Ryeowook puxou a prima e os dois afastaram-se para longe da mesa.

Sungmin olhou de esguelha para Kyuhyun, que sorria bastante divertido com a situação. Sungmin bateu-lhe no braço, começando logo a protestar:

- AISH! Mas tu és doido?! Como é que pudeste faz-AHH~~!! – Foi interrompido quando sentiu um toque mais acentuado. – Fodasse Kyuhyun!

- Que pena que eles foram embora. – Kyuhyun lamentou-se. – Se tivessem ficado por mais tempo eu conseguiria que assinasses o contrato de vez… assim parece que vou ter mais trabalho. – Suspirou. – Enfim…

- O Ryeowook percebeu! Que merda, eu estou fodido!

- Ainda não… - Kyuhyun corrigiu, baixinho, mas alto o suficiente para chegar aos ouvidos do mais velho. Aproveitou a oportunidade para tirar a mão de dentro das calças dele. Sungmin grunhiu em reprovação instintivamente. Corou de leve após isso. Kyuhyun notou e sorriu.

- Tira o casaco! – Sungmin ordenou de súbito.

- Quê?

- Tira a merda do casaco agora fodasse! – Ordenou novamente batendo como punho no tampo de vidro da mesa.

Kyuhyun ficou confuso com aquilo, mas resolveu acarretar a ordem.

- Eu não tiro mais nada em público Sungmin. Não gosto muito de me expor… - Avisou.

Sungmin pegou no casaco dele, colocando-o na volta do braço. Depois levantou-se e ajeitou melhor o pedaço de tecido, para que cobrisse a sua erecção desperta. Kyuhyun riu.

- Se eu soubesse para o que era não tinha tirado o casaco. Queria ver-te a saíres daqui.

- Cala-te idiota. Vamos resolver esta merda de uma vez por todas lá em cima! - Começou a andar, fazendo sinal para que o mais novo o seguisse.
- Não sabia que eras boca suja… - Kyuhyun comentou enquanto subiam as escadas. – Agrada-me.

Sungmin atirou-lhe o casaco de volta quando chegaram à frente de uma porta. Com uma pequena chave tirada de um dos bolsos, ele abriu-a e puxou Kyuhyun para dentro.

- Vais assinar o contrato… Min-ah? – O empresário insistiu, caminhando mais para o interior do que descobriu ser um quarto. – Hum… mas isto afinal é um bar… ou um bordel?

- É o que me apetecer. – Sungmin respondeu à ultima pergunta em primeiro lugar. – Queres que eu assine? – Sungmin lançou-lhe um olhar malicioso.

- És muito versátil Sungmin. E sim, quero que assines.

- Obrigado. – Sorriu. – Então chupa. – Sungmin abaixou as calças e sentou-se na beira da cama.

Kyuhyun avançou um passo na direcção dele. E depois outro. E outro.

- Eu vou fazer tão mais do que isso Sungmin. – Informou. – Mas sim, acho que podemos começar por aí…

Os joelhos do maknae bateram no chão, à frente de Sungmin. As mãos fortes afastaram-lhe as pernas e ele foi-se aproximando. Cada vez mais. E mais. Até a sua respiração quente bater contra o tecido dos boxers apertados do mais velho.

- Ahhh K-Kyuu~! – Sungmin gemeu arrastado quando os dentes dele se cravaram na sua pele.

Kyuhyun levantou a cabeça e sorriu-lhe maliciosamente. No segundo seguinte estava a trepar sobre o corpo dele, arrancando-lhe a blusa no processo e fazendo-o cair de costas sobre o colchão. A sua boca procurou a de Sungmin com urgência, envolvendo os lábios nos dele, procurando depois misturar a língua com a dele. As mãos grandes de Kyuhyun foram tacteando o abdómen definido de Sungmin, sentindo a pele dele arrepiar-se com cada toque. Não demorou muito até que as mãos do mais velho estivessem também nas costas do maknae, deslizando pela sua extensão, pouco satisfeitas com a camisa a atrapalhar um contacto directo. E tanto que Sungmin queria cravar as unhas nas costas dele, marcá-lo.

Kyuhyun foi abrandando o beijo, já lhes faltava o ar. Enquanto Sungmin ainda recuperava, ele retomou a sua tarefa e deslizou os lábios para o pescoço do mais velho, beijando, mordendo, chupando aquela região. Quando se fartou, desceu novamente, logo encontrando uma nova diversão: dois mamilos rosados.
Sungmin agarrou os lençóis com força quando sentiu os dentes dele se fecharem, prendendo pele sua entre eles. Murmurou algo que nenhum dos dois se preocupou em compreender. Kyuhyun continuou o seu caminho, até ao objectivo principal. Os boxers negros desapareceram como que por magia e a cabeça do maknae foi descendo de nível.

- Hhhhmmmm ~Kyuuuun-ah!

- Sabe bem Min? – Kyuhyun perguntou-lhe. – Eu também acho bom… hum… - Deslizou a língua pelos lábios antes de se baixar novamente.

- Aish~! Kyuhyun… eu… eu v-vou…

A língua do maknae pressionou um ponto crítico e Sungmin não conseguiu aguentar por mais tempo.

- Ahhh ~ - Ele deixou escapar um suspiro aliviado. Aproveitando que Sungmin tinha os lábios entreabertos, Kyuhyun resolveu levar os seus para lá, deixando o mais velho provar do próprio sabor.

As línguas envolveram-se numa dança frenética. Kyuhyun beijou Sungmin com uma força e necessidade que fez o rapaz por baixo de si se contorcer. Momentos depois o mais novo afastou-se, tentando levar algum ar aos seus pulmões.

- Bolas Sungmin, sabes mesmo como me deixar maluco! – Comentou entre ofegos.

- E parece que o Kyuhyun-sshi é competente em tudo o que faz. Foi o melhor serviço que alguém já me fez… - Sungmin foi interrompido.

- E então… mereço que assines a venda das acções?

- Contudo… - O mais velho continuou. - … eu não me convenço assim tão facilmente… - Sorriu maliciosamente ao maknae.

- Eu não saio deste quarto sem as acções no meu nome. E tu também não! – Kyuhyun alertou, fazendo o seu dedo indicador deslizar sobre o tórax do mais velho. – Nem que tenhamos que ficar aqui uma semana, um mês, o que for!

- Ah é? E o que é que vamos ficar aqui a fazer esse tempo todo? Não vai ser aborrecido?

- Eu mantenho-te entretido. – Kyuhyun assegurou.

Sungmin abriu mais os olhos e mordeu o lábio inferior, tentando parecer inocente. Kyuhyun, por outro lado, achou aquilo uma provocação. Sentiu outra descarga eléctrica.

- Fodasse Sungmin, tu estás mesmo a pedir para ser fodido! – Comentou.

Sungmin sorriu, agora da maneira mais maliciosa que conseguia.

- Então do que é que estás à espera de conceder o meu desejo?

Ao mesmo tempo em que falou, Sungmin impulsionou o corpo, rodando para ficar ele por cima de Kyuhyun. Abriu-lhe a camisa à bruta, arrancando todos os botões. O maknae arfou e Sungmin sentou-se sobre o seu quadril, movendo-se provocadoramente sobre o seu membro ainda oculto pelas calças. As mãos dele desapertaram o cinto, o fecho e libertaram o botão. Sungmin elevou-se então, deixando que o tecido saísse pelas pernas dele e voltou a sentar-se sobre os boxers de Kyuhyun, as suas nádegas obscenas roçando sobre a erecção crescente do mais novo.

Kyuhyun esticou as mãos, pousando-as sobre as coxas grossas de Sungmin. Apertou a região, deliciado com a maciez delas, os dedos afundando-se na carne. Sungmin sorriu, aproveitando para se ver livre dos boxers dele e o maknae estremeceu ao sentir a pele dele ser friccionada contra o seu membro descoberto. Kyuhyun não aguentou mais, aquilo já estava a ser demais.

Num movimento rápido, Kyuhyun voltou a ficar por cima do corpo de Sungmin e este sentiu-se ser pressionado por algo duro.

- Lubrificante? – O mais novo perguntou e os olhos de Sungmin indicaram-lhe as gavetas da mesa de cabeceira. Kyuhyun abriu a primeira e tirou de lá o potinho do creme. Mergulhou um dedo na substância e depois mergulhou-o na entrada apertada do mais velho. Sungmin gemeu. Kyuhyun inseriu outro dígito. Sungmin mordeu o lábio com força, tentando acalmar a respiração. Então Kyuhyun inseriu algo bem mais grosso e Sungmin contorceu-se, tentando acostumar-se com algo tão volumoso dentro de si.

- Mexe-te Kyuhyun! – Ao fim de algum tempo ele disse. – Parado assim não ganhas nenhuma assinatura minha… - Brincou.

E Kyuhyun atendeu ao pedido, mostrando ao mais velho o quanto queria as acções.


*

Cho Kyuhyun.

Ele sempre teve tudo o que quis. Sem grandes esforços, tudo o que ambicionava acabava por ir parar-lhe às mãos, como que por magia. Ele desejava algo ou alguém e bastava-lhe estalar os dedos para os ter. Tão simples quanto isso.

Sorte? Talvez.

O que quer que fosse, parecia que não havia nada que pudesse mudar tal destino.

Eu tentei, juro que tentei com todas as minhas forças, mas parece que nada nem ninguém é capaz de demover Cho Kyuhyun quando ele quer alguma coisa. O desgraçado tem um poder qualquer que não deve ser deste mundo. Ele enfeitiça as pessoas, provoca-as, manipula-as e deixa-as completamente à sua mercê.

E o que poderia fazer eu, simples Lee Sungmin, contra isso?

Pois… nada!

Admito que falhei o meu objectivo. Ou, pelo menos, parte dele.

Eu cedi-lhe as acções, tal como ele queria.

Mas e ele?

Ele cedeu-me bem mais do que isso.

Cedeu-me o seu coração.

Agora o poderoso Cho Kyuhyun está nas minhas mãos.

Afinal, quem ganhou mais no fim disto tudo?


Fim

Eu vou tentar não demorar com a parte EunHae ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Seg Jul 04, 2011 9:58 pm

OMOOOOO isto foi lindo!
A cena dos miudos! morri totalmente. que ciganooo, e o ryeo percebeu tudo, coitadooo, perdeu a inocencia xDD e a lunaa, tadita xDD
ai opa kyuhyun! tu és impossivel! :c
tenho de admitir que estava à espera que noi final o sungmin não lhe concedesse as acções eheh mas acho que ainda foi melhor do que pensei. O kyuhyun é um cachorrinho no final de contas *_* ai adoro, isto merece uma continuação para eu ver o futuro desta cena xDD
aaai e o donghae é a coisa mais fofa de sempre :O adorei o clima eunhae xDD quero bue ler a 3ª parte extra com eunhae Cool
nao demorees *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
MiyaHaru
FanFiction Maniac
avatar

Mensagens : 511
Data de inscrição : 21/07/2010
Idade : 27
Localização : Porto. Portugal

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Ter Jul 05, 2011 7:52 pm

OMO! Min! Está tão burtal! Amei!!

Aish o Kyu baby é mesmo um filho da mãe de primeira!! A provocar o rapaz desta maneira e em frente aos meus novos! Aigo kyu~~
A Luna é tão inocente! Razz
Mas adorei as partes smut! Tens jeito para escrever as partes smut Min!

Adorei o jogo dos dois! Aigo eu amo Kyumin cada vez mais~~

Aish as partes Eunhae!! O Hae é tão fofinho *.*
E eu quero Eunhae smut!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Sab Jul 09, 2011 12:13 am

Nhai *-* Ainda bem que gostaram XD
Eu adorei escrever a parte do Kyu a provocar o Min à frente do Wookie e da Luna. Tadinhos XD
Ainda bem que gostas cada vez mais de KyuMin Miya unnie ^^ I'm very happy ~~

Aqui fica a parte extra de EunHae Razz
Peço desculpas se houver algum erro, não tive muito tempo de rever tudo com a máxima atenção. Mianhae ~~

Espero que não esteja confuso ~



Sungmin sorriu ao desviar os olhos para o outro canto do bar e ver o primo, que supostamente tinha ido atender um telefonema urgente, levar Donghae, que supostamente tinha ido à casa de banho, para o andar superior.

Eunhyuk puxou o moreno pela escadaria e logo estavam diante de uma imponente porta, aberta com uma chave dourada que o mais velho tirou do bolso das calças. Donghae entrou, guiado pelo loiro, e os seus olhos percorreram com admiração cada canto daquele quarto, ou melhor, daquela autêntica suite, decorada em tons de preto e prateado. Simples mas sofisticado.

- Um quarto no bar? – Donghae interrogou, esperando uma boa explicação.

- Coisas do Sungmin. – Ele disse despreocupadamente. – Parece que às vezes até dá jeito… - Comentou.

- Ah é? O Eunhyuk-sshi usa muito este quarto? – Donghae olhou-o, cruzando os braços à altura do peito. – Costuma trazer aqui muitas pessoas, é?

- Não. – Eunhyuk riu. – És o primeiro que eu trago aqui. – Esclareceu, aproximando-se do moreno.

- O Eunhyuk-sshi espera que eu acredite nisso? Veja bem… bonito, sexy, rico… aposto que não falta é gente atrás de si, mortinha para vir conhecer este quarto e sabe-se lá mais o quê…

- Acontece que… eu não me dou a qualquer um. Sou bastante selectivo… - O loiro aproximou-se mais e aproximou os lábios da orelha de Donghae. – Eu não sou um prostituto Donghae-sshi… - Riu levemente, fazendo uma pausa para depois acrescentar: - A menos que queiras que eu seja o teu prostituto por esta noite.

Donghae sentiu as bochechas arderem e um arrepio. Empurrou o outro para longe e afastou-se dele, constrangido. Eunhyuk riu com vontade.

- Fica à vontade. Eu vou servir umas bebidas. – O mais velho disse, afastando-se para o mini bar da suite.

Donghae sentou-se na beira da cama enorme e deslizou a mão pelo tecido macio antes de encarar o loiro. Ele era sexy mesmo sem fazer por isso, apenas entretido a colocar bebidas num copo. Donghae não sabia o que se passava consigo, mas aquele loiro tirava-o do sério. Suspirou, lembrando-se da noite anterior.


*flashback*

Já há várias horas que estavam assim os quatro, ali sentados à mesa. O único que se levantava de tempos a tempos era o rapaz loiro, que ia até ao balcão e voltava com mais copos cheios dos mais variados líquidos. Donghae já tinha perdido a conta às bebidas que tinha ingerido. Bebera algo que sabia a limão, depois morango, depois cereja, kiwi e banana. Agora tinha em mãos um licor de cor azul que ainda não tinha conseguido identificar.

Sentia a cabeça a andar à volta, um calor infernal, um desconforto bem grande. Já não aguentava mais estar ali parado. Precisava de ir à casa de banho, apanhar ar mas não queria aborrecer o chefe. Olhando rapidamente para ele, talvez Kyuhyun nem se importasse, já que estava mais concentrado em Sungmin que mordia uma cereja vermelha e carnuda à sua frente. O mais novo dali acabou de escrever numa folha e entregou-a ao dono do bar.

- S-Sungmin-sshi, reavalie por favor. – Kyuhyun empurrou o papel recém escrito para a sua frente, mordendo a língua para não o mandar para o inferno por fazê-lo ter de pensar noutras soluções e reescrever a merda do contrato vezes em conta. – E pondere bem… eu não tenho tempo a mais para perder!

- Com licença… - Um voz trémula chamou a atenção de três pessoas na mesa. Era Donghae, que estava mais branco do que a cal. – Eu não me sinto muito bem… eu acho que… preciso sair daqui.

- Donghae-sshi! – O rapaz loiro foi o primeiro a se levantar e a correr para junto do moreno. – Está tudo bem? Eu levo-te à casa de banho para molhares o rosto!

- O-obrigado Eunhyuk-sshi! – O moreno agradeceu, apoiando-se no outro, que o ajudou a chegar até à casa de banho.

Só de se levantar e caminhar Donghae já se sentia melhor. Realmente beber sentado não prestava!

Eunhyuk abriu a porta e automaticamente as luzes se acenderam e a porta voltou a fechar com os dois já lá dentro. Donghae apoiou-se no lavatório mas Eunhyuk continuou com a mão à volta da sua cintura, apenas para prevenir de qualquer incidente, afinal Donghae podia desequilibrar-se, cair e o loiro não queria que ele se magoasse.

Donghae nem ligou à mão pousada na sua cintura. Abriu a torneira e molhou as mãos, levando-as depois ao rosto quente. Respirou fundo, sentindo-se mais aliviado.

Eunhyuk engoliu em seco, deliciado com a visão que era o moreno com o rosto e as pontas da franja que lhe caía sobre os olhos, molhados. Seguiu atentamente o trajecto de uma gota que saiu dos lábios carnudos e deslizou pelo pescoço, perto da maçã de Adão proeminente, e se perdeu dentro da camisa ligeiramente aberta dele.

- Eunhyuk-sshi, obrigado. – Donghae sorriu-lhe fofamente.

Sem ele saber bem como, o moreno estava agora virado de frente para si, as costas encostadas ao lavatório. Surpreendentemente, a sua mão continuava lá, colada ao quadril do mais novo.

- Eunhyuk-sshi? Sente-se bem? – Donghae estranhou a expressão do outro.

- Sim! Está tudo bem. E o Donghae-sshi? Sente-se melhor? – Eunhyuk rapidamente se recompôs e sorriu ao rapaz à sua frente.

- Oh sim, agora estou melhor. Mas ainda tenho calor… - Queixou-se.

Eunhyuk avançou um passo curto da direcção de Donghae, acabando de vez com a pouca distância entre os dois. Mordeu o lábio inferior enquanto encaminhava as mãos ao casaco do mais novo.

- Então não precisas disto… - Começou a desabotoar os botões negros e depois fez o tecido escorregar-lhe pelos braços abaixo.

A respiração de Donghae intensificou-se, o seu cérebro processando, não da maneira mais decente, tudo aquilo que estava a acontecer. Abriu mais os olhos em surpresa quando sentiu que os dedos ágeis já tinham alcançado os botões da camisa branca.

- E-Eun-Eunhyuk-s-sshi…? – Chamou fraco, a sua voz tremendo. – O q-que… está… a f-fa-ze-er?

- Algum problema Donghae-sshi? – O loiro sorriu-lhe, tentando esconder as suas verdadeiras intenções. – Não estavas com calor? – Eunhyuk perguntou, acabando de desapertar o último botão.

- E-Eu não acho q-que s-seja… boa ide-deia. – Donghae tentou recuar, mas já estava apoiado ao lavatório. Encurralado.

- Porque não? Estamos só aqui os dois…

Donghae mordeu o lábio, desta vez com mais força e dentou debater-se dos braços de Eunhyuk que já tinham abraçado a sua cintura, possessivos.

- P-pode apa-aparecer… algué-ém…

Eunhyuk agarrou o queixo do moreno, levantando-lhe a cabeça de modo a que pudessem olhar-se directamente nos olhos. Donghae estremeceu só de ver a intensidade com que o outro o olhava. Um olhar brilhante, negro, desejoso, faminto.

- Eun-hyuk… - Sussurrou, perdendo o fôlego.

- Eu pensei que querias Donghae-sshi… Será que me enganei assim tanto? – Eunhyuk estreitou o olhar e humedeceu os lábios enquanto desviava a cabeça para outro lado.

Donghae agarrou o braço do loiro no mesmo segundo, impedindo-o de afastar-se, mesmo sem ele ter-se movido. Eunhyuk voltou a olhá-lo.

- Eu… q-quero… - Donghae confessou baixinho, abaixando os olhos para o chão.

Eunhyuk sorriu satisfeito. Como era óbvio, não se tinha enganado. A atracção entre os dois tinha-se manifestado desde o primeiro instante que se cruzaram e os olhos de Donghae gritavam-lhe que ele queria tanto como Eunhyuk.

- Que falta de entusiasmo Donghae-sshi… tens de ser mais convincente… - O loiro resolveu provocar.

Donghae respirou fundo, engolindo a vergonha e o medo de serem apanhados. Com um puxão vigoroso colou o corpo de Eunhyuk ao seu e atacou-lhe logo os lábios, fazendo-os roçar ritmadamente contra os seus. O loiro pegou Donghae pelos quadris e sentou-o sobre o lavatório, encaixando-se entre as pernas abertas.

A camisa aberta rapidamente deixou definitivamente o tórax do mais novo e não demorou que as calças tivessem o mesmo destino. Apenas só de boxers que já lhe ficavam bastante apertados mas ainda sentado sobre o mármore frio, Donghae empurrou Eunhyuk para trás, fazendo-o recuar alguns passos. Ele fitou-o com uma expressão confusa e Donghae sorriu maliciosamente. Com um salto, ficou de pé junto de Eunhyuk e a sua mão direita pousou sobre o peito dele. Donghae avançou um passo e Eunhyuk foi obrigado a recuar outro. Mais alguns passos e o loiro já estava sentado sobre o vaso sanitário, sem roupas e com Donghae sentado sobre o seu colo, balançando-se para trás e para a frente, deixando o seu membro pulsante em êxtase.

*flashback end*


- Em que é que estás a pensar? – Uma voz rouca soou ao seu ouvido, tirando-o dos seus pensamentos. Donghae não respondeu e Eunhyuk continuou. – O que quer que seja, parece que estás a gostar… - Riu, fazendo uma das mãos subir pela coxa do mais novo, até parar no meio das suas pernas. – Wow! O que é que te está a deixar assim? – Sorriu-lhe travesso, movendo os dedos sobre o membro já endurecido de Donghae.

Donghae arfou, ainda surpreso por ter sido apanhado a relembrar a aventura de casa de banho dos dois e pela mão atrevida dele pousada no meio das suas pernas. Pensou duas vezes antes de responder mas resolveu que mandaria a timidez e a vergonha às urtigas e que aproveitaria da melhor maneira aquele tempo com o primo de Sungmin. O seu semblante mudou e ele pôde ver a confusão no rosto do loiro quando pousou a mão em cima da dele, fazendo-o pressionar mais o seu membro.

- Adivinha tu no que eu estava a pensar… Hyukkie. – Pediu.

Eunhyuk respirou fundo, engolindo a provocação. Aquele desgraçado com cara de santo e sorriso inocente era a própria provocação do diabo!

- Ohhh Donghae… não precisas de relembrar essas coisas, podes sempre… revivê-las.

Donghae sorriu e no segundo seguinte o corpo do loiro já estava por cima do seu e as mãos lutavam contra o tecido que os impedia de ter contacto directo. Eunhyuk colou os lábios nos de Donghae, beijando-o com vontade mas também com carinho. Para ele Donghae não era apenas um caso, uma diversão. Sentia-se mesmo atraído pelo moreno, alguma coisa nele puxava-o para si, querendo estar sempre próximo.

Eunhyuk elevou o tronco, retirando a sua camisa e a de Donghae e ele aproveitou para passar as mãos pelo abdómen definido do loiro. Agarrou depois o cós das calças pretas e alcançou o botão, começando a abri-lo. Bastaram meros segundos para as calças estarem bem longe do corpo do loiro. As de Donghae foram pelo mesmo caminho logo a seguir.

Eunhyuk inclinou-se para a frente, tentando chegar aos lábios do mais novo, mas ele deteve-o.

- Se o Sungmin-sshi assinar o contrato... o Kyuhyun não virá mais aqui… e… eu… Esta será a última vez que nos vemos? – Perguntou a medo, mordendo o lábio nervosamente.

- Oh Donghae... – Eunhyuk riu da expressão fofa do mais novo. – Tu gostarias de continuar a ver-me?

- Sim. Eu gostava muito de continuar a ver-te…

- Se depender de mim… nunca mais nos largamos! – Confessou o loiro, capturando finalmente os lábios naturalmente rosados.

Donghae sentiu um calor no peito. Aquilo era uma loucura. Tinha-se deixado levar na conversa de um - praticamente – desconhecido e agora ele fazia-o sentir coisas estranhas que nunca tinha experimentado. Podia ele estar apaixonado? Era impossível, certo? Apenas se conheciam há dois dias. Entretanto já tinham feito coisas como se se conhecessem há anos. Donghae não sabia como encarar aquilo e já estava a divagar.

Até que alguém o trouxe de volta à realidade. E de forma bastante efusiva.

- Ahhhh~!! – Gemeu, sentindo algo húmido no seu baixo ventre. Levantou a cabeça para encarar Eunhyuk enterrado nos meio das suas pernas. Ele fitou-o com um sorriso malicioso.

- Só assim para te fazer acordar. – O loiro comentou. – Parece que estás sempre a sonhar acordado. Em que tanto pensas?

- O que quer que fosse… já esqueci tudo. Aish ~~ - O moreno disse, voltando a encostar a cabeça no colchão. – Eunhyuk-ah, não pares… por favor. – Pediu.

- É bom, não é? – Eunhyuk riu e a sua respiração quente voltou a proporcionar calafrios no mais novo quando foi contra a pele de uma zona bastante sensível.

- C-continua! – Donghae pediu, agarrando o lençol com força.

Eunhyuk fez-lhe a vontade e ainda se esmerou mais na tarefa que tinha entre mãos ou, neste caso, entre lábios. Como incentivo, tinha a voz rouca de Donghae sibilando profanidades desconexas e o seu nome era gemido languidamente.

- Hyukkie-ah… eu v-vou…

- Ainda não! – Eunhyuk parou subitamente o que estava a fazer. – Eu quero que esperes por mim.

- Q-quê? – Donghae quase se engasgou com o próprio ar, observando o mais velho tirar os próprios boxers brancos da marca “Dolce & Gabbana” e humedecer os próprios dedos com saliva – que visão obscena Donghae teve!

Um dos dedos que o loiro humedeceu desceu até entrar em Donghae. Ele gemeu desconfortavelmente, repudiando aquele corpo estranho. Eunhyuk pareceu notar e baixou-se, depositando leves beijos sobre a pele quente do mais novo, esperando que aquilo o fizesse sentir-se melhor. Quando ele pareceu mais acostumado, o segundo dígito foi inserido e momentos depois os dedos foram finalmente substituídos pelo membro do loiro.

- Donghae-ah… - A certa altura Eunhyuk chamou.

- Hum?

- Acreditas em amor à primeira vista?

Donghae sorriu em resposta, puxando o queixo de Eunhyuk mais para perto, podendo assim chegar-lhe aos lábios entreabertos. Selou-os com os seus, carinhosamente.


Fim ~~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
MiyaHaru
FanFiction Maniac
avatar

Mensagens : 511
Data de inscrição : 21/07/2010
Idade : 27
Localização : Porto. Portugal

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Sab Jul 09, 2011 1:25 pm

I love you Min <333333333
Isto está demais!!!

Obrigado por fazer uma fic tão provocante com eunhae XD

Citação :
- Acontece que… eu não me dou a qualquer um. Sou bastante selectivo… - O loiro aproximou-se mais e aproximou os lábios da orelha de Donghae. – Eu não sou um prostituto Donghae-sshi… - Riu levemente, fazendo uma pausa para depois acrescentar: - A menos que queiras que eu seja o teu prostituto por esta noite.
OMG Eu nem vos digo o que imaginei quando o Eun disse isto XP
Eu e a minha perv imaginação!!

O final foi tão cute *.*

OMO Min tens de continuar a escrever Eunhae e Kyumin !! Jaebal~~
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cho MinTae
Moderadora do Blog
avatar

Mensagens : 1128
Data de inscrição : 23/06/2010
Idade : 26
Localização : South Korea

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Sex Mar 23, 2012 1:24 am

Eu não me queria chatear muito com isto mas...

Agradecia que a pessoa que teve o descaramento de vir aqui roubar esta fic para a postar no Nyah sem a minha autorização apagasse a fic do seu perfil antes que eu me chateie a sério... o que já não falta muito (ou nada)!

Plágio é crime.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://chomintae.tumblr.com/
kim
Moderadora Gráfica
avatar

Mensagens : 737
Data de inscrição : 05/07/2010
Idade : 25
Localização : Coimbra (devia ser seoul -.-)

MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   Seg Abr 02, 2012 9:00 pm

Alguém te plageoou?? WTF?? Andam para aqui a ler, nem comentam e ainda roubam? Surprised
Omo, estou parva T-T
Mas por outro lado tenho a agradecer que tenhas vindo aqui avisar porque OMG!
OMG!

Eu juro que não sabia que tinhas posto a fic eunhae! Pensava que te tinhas esquecido e continuava à espera que te lembrasses!
COMO É QUE EU NUNCA TINHA REPARADO?!
PORQUE NINGUÉM ME AVISOU?!
voltei a ler tudo né? :b
OMG, isto é tão lindooo~
Kyumin é tão obsceno! MAs eunhae espantou-me. Não estava à espera do sexo na casa de banho xD
Esta segunda parte está igualmente tão sexy~ Omo, eunhae é o meu pecado! Dx
Obrigada por escreveres~
E em relação ao plagio... Give them hell! :c Se precisares de ajuda diz!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://twitter.com/kimurapd
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: [Super Junior] Electricity (Double-shot)   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Super Junior] Electricity (Double-shot)
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Super Junior-Quiz
» Reconheça Super Junior
» Minha história com Super Junior, wee
» [Super Junior] Mamacita MV
» [Super Junior] Divulgada informações sobre os ingressos no Brasil

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFictions Wonderland :: FanFictions :: Kpop :: FanFictions Acabadas-
Ir para: