FanFictions Wonderland

Gostas de escrever e/ou ler FanFics? Então junta-te a nós e entra neste mundo de Kpop, Jmusic e fantasia ^-^
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  GaleriaGaleria  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 [Teen Top] My First Love

Ir em baixo 
AutorMensagem
belphegorchan
Novo Membro
avatar

Mensagens : 4
Data de inscrição : 04/10/2012
Idade : 26

MensagemAssunto: [Teen Top] My First Love    Qui Out 04, 2012 7:23 am

FANFIC

Classificação: +13
Categorias: Teen Top; ChangJo; L.joe; C.A.P; Ricky; Niel; ChunJi.
Gêneros: Romance, Drama, Yaoi.
Avisos:
É uma Fanfic baseada na BoyBand Coreana Teen Top e é uma ficção Yaoi Romântica, podendo
conter Lemmon. Se não gosta de Homem com Homem, não leia. XD
É uma Fanfic especial para ANGELS, para quem gosta de K-Pop ou curiosos.
Espero que gostem.
Obs: Teen Top não me pertence! É apenas uma ficção de uma fã.


MY FIRST LOVE




CAPÍTULO 1 – O Namorado Perfeito

ChangJo P.V


Em uma tarde de verão, estava cansado das palestras de reclamações que meus pais davam
todas as vezes em que eu tentava sair de casa, então, enquanto meu pai falava, subi as escadas
apressado, entrei no meu quarto e tranquei a porta.

Por um lado, eles tinham razão, pois ultimamente tenho saído todas as tardes e sempre uso a
desculpa de estudar na casa dos meus amigos. O pior é que com tanto “estudo”, minhas notas não
passavam de 7 e minha mãe sempre implica com isso.

Me desfiz das roupas e fui direto tomar banho. Não gostava daquele calor insuportável e
tinha outra razão: eu estava prestes a ver o meu amor hoje e queria estar impecável.

Meus pais não sabiam que eu namorava, afinal era escondido. Na verdade, nem meus
amigos sabiam, e eu fui escondendo isso ao máximo para que não me afastassem dele. L.Joe era o
seu nome, não o original, mas como gostava de ser chamado. Era um garoto assim como eu, muito
bonito e atencioso, mais velho poucos anos, menor que eu em alguns centímetros e seus cabelos
eram descoloridos.

Enquanto tomava banho, 'sonhava' com as palavras adocicadas e os beijinhos do
L.Joehyung...

- JongHyun!?? - minha mãe já começou a me perturbar.

Desliguei o chuveiro para responder, chateado por ela ter me despertado daquele sonho
acordado:

- O que é mãe? Estou tomando banho!! Aishh!

- Você vem almoçar? A comida vai esfriar se demorar tanto! - Ela sabia mesmo como me
chatear.

- Já vou! Que saco!

Terminei o banho e coloquei uma roupa qualquer apenas para almoçar. Faria qualquer coisa
para ela não ficar falando. Desci e fui comer, mas nada de tranquilidade. Meus pais não pararam de
me encher perguntando onde eu ia e os detalhes. Inventei um monte de coisas e fui para meu quarto
me arrumar.

Calcei uns sapatos novos, vesti uma camisa regata branca, um casaquinho de manga
comprida quadriculado preto e azul e uma bermuda preta; penteei meu cabelo, coloquei uma boina
quadriculada e passei um perfume não muito forte. Em fim, estava pronto para vê-lo. Peguei a
mochila com alguns livros e sai rápido de casa.


Autora P.V


Já estava no meio da tarde, demorou um pouco para que ChangJo pudesse chegar até a casa
de seus amigos. L.Joe era estudante de música assim como ChangJo e ambos participavam de um
grupo Cover de K-pop chamado Teen Top na escola. Eles dançavam e cantavam por diversão
enquanto terminavam os estudos básicos. L.Joe morava com Ricky, CAP, Niel e ChunJi, mas todos
estavam de férias na casa dos pais. Apenas ChangJo estava em aula porquê havia ficado em
recuperação. Ele morava na cidade próxima e demorava algumas horas para chegar na casa de seus
amigos. L.Joe estava só, à espera do amado, até que escuta a campainha tocar:

- Quem é?

- L.Joehyung? É o ChangJo!

- ChangJo? Estou indo Maknae.

O mais velho abre a porta para ChangJo entrar e em seguida a fecha e tranca. Olhou de cima
a baixo como estava bonito o seu amor que ele tanto gostava de chamar de Maknae. Então, deu um
abraço, um selinho e disse:

- Amor, você está tão lindo e cheiroso. Eu estava com saudades já... mas que carinha de
chato é essa?


- Amor, são meus pais! Eu cansei deles, porque vivem me tratando como uma criança e isso
é muito chato... minha vontade é de fugir de casa
– retrucou o mais novo irritado com tudo aquilo
que vinha acontecendo.

L.Joe não esperou, enquanto escutava os desabafos do seu bebê, passou as mãos pelos
cabelos do ruivinho e deu um beijo em sua bochecha.

- ChangJo, tenha calma. Seus pais não querem seu mal. Pense pelo lado natural das coisas,
Meu Amor. Se você sai demais, vem estudar, fica todo irritadinho, e ainda tira notas baixas, é claro
que seus pais vão falar. Apenas escute.


- Você quer que eu faça o quê? Obedeça eles e não possa mais te ver? - falou indignado e
estressado.

- Não falei para obedecê-los, apenas não quero que fique se estressando com essas coisas,
porque todas as vezes você termina perdendo tempo de aproveitar o dia comigo, Amor
– respondeu
o loiro com um olhar preocupado, pegando os pertences do namorado e colocando sobre uma
estante na sala – Eu te amo! Hoje, comprei um filme de terror para assistirmos juntos. Eu não gosto
muito, mas sei que você adora. Vem comigo para o quarto, Maknae?


- Owm, Amor, não me chame assim. Vamos! - falou enquanto entrava no quarto de seu
amado. Era constrangedor ficar naquele local, mas ele tentou relevar aquilo pensando que estavam
ali apenas para assistir – Amor, os meninos virão hoje?

- Fique tranquilo, Amor, hoje teremos um dia para nós dois. O CAP vai passar o dia na casa
da praia com a família e convidou Niel e Ricky para ir com ele. Acho que vão passar de 3 a 4 dias
lá. Já o ChunJi foi para uma confraternização dos pais dele, algo de emprego, não sei ao certo.
Enfim, deite-se na minha cama, Minha Vida.


L.Joe não podia ser mais carinhoso. Deixou ChangJo deitar sobre uma cama de casal de
frente a um telão, colocou lençóis sobre o menino e deu um beijo em sua cabeça; fechou as cortinas,
ligou o ar condicionado, trancou a porta do quarto, pegou o controle remoto e se sentou ao lado
dele. ChangJo se levantou um pouco para poder se sentar, ainda tímido por estar naquele lugar e
encostou a cabeça no ombro do mais velho.

- Bobô, eu te amo, sabia? - L.Joe sabia como ser fofo.

- Owm, Amor, não fala muito, senão vai gastar.

- Gastar? Mas é infinito, Meu Amor! ^ ^

O mais novo corou e fechou os olhinhos suspirando. L.Joe colocou um braço sobre os
ombros do ruivo e ficou meio deitado com ele. ChangJo relaxava a cabeça no peito do mais velho
que aproveitava para ficar beijando o topo de sua cabeça de vez em quando. Se cobriram com os
lençóis, pois o ar condicionado estava com uma temperatura muito baixa, fazendo bastante frio.

Estava tudo preparado para assistir. 'Play', O filme começou.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.twitter.com/angel_belliki
belphegorchan
Novo Membro
avatar

Mensagens : 4
Data de inscrição : 04/10/2012
Idade : 26

MensagemAssunto: [Teen Top] My First Love - Capítulo 2 "O Perfeito Imperfeito"   Qua Out 24, 2012 10:53 pm

FANFIC

Classificação: +13
Categorias: Teen Top; ChangJo; L.joe; C.A.P; Ricky; Niel; ChunJi.
Gêneros: Romance, Drama, Yaoi.
Avisos:
É uma Fanfic baseada na BoyBand Coreana Teen Top e é uma ficção Yaoi Romântica, podendo
conter Lemmon. Se não gosta de Homem com Homem, não leia. XD
É uma Fanfic especial para ANGELS, para quem gosta de K-Pop ou curiosos.
Espero que gostem.
Obs: Teen Top não me pertence! É apenas uma ficção de uma fã.



MY FIRST LOVE


CAPÍTULO 2 – O Perfeito Imperfeito

L.Joe P.V


O filme já havia começado, mas eu não consegui me concentrar. A presença do meu bebê era a única coisa em minha mente, como ele estava bonito, cheiroso e tão pertinho de mim.

Não que namorar outro cara fosse comum para mim, mas a experiência de casal eu já tive duas outras vezes e me arrependi bastante. As garotas com quem me relacionei não me interessavam muito. Podia parecer um tanto egoísta ou orgulhoso de minha parte, mas eu apenas namorei por pena, porque elas gostavam de mim. De fato não deu certo e não durou muito. Me sentia muito mal em estar com uma pessoa que não me fazia feliz, nem me motivava e não queria iludi-las.

Com o JongHyun foi diferente. Eu me apaixonei perdidamente por ele. Era meu amigo assim como os outros, mas tinha algo especial: era o mais ingênuo. Podia não aparentar porque ele parece mais velho fisicamente, é um pouco rebelde, chatinho e de pouca conversa, mas é o mais novo de nós e meio privado de alguns assuntos mais maduros.

O engraçado é que mesmo sendo o mais novo, ele não gosta de ser reconhecido como tal, e fica bravo quando o chamamos de Maknae. Ele tenta parecer mais maduro, mas ao meu ver, sempre será um garotinho inexperiente que mexe com meu coração.

Eu podia ver a empolgação naqueles olhinhos querendo conhecer cada detalhe, querendo saber tudo sobre aquele bendito filme. Ele ficava curioso me perguntando e dizendo coisas como “Eu sei quem é”, “Vai acontecer isso”, mas eu não queria assistir, só faria qualquer coisa para estar com ele, daquele jeito.

Queria poder ficar com ele todos os dias e todas as horas, mas como somos estudantes e moramos distante, fica cada vez mais complicado. A única forma que conseguimos ficar juntos como um casal é o ChangJo vindo até a minha casa, mas isso se nossos amigos não estiverem. Jonghyun tem medo que as pessoas saibam desse relacionamento e isso me incomoda muito.

Eu até o entendo. Sei que ele tem vergonha de admitir sua homossexualidade e medo da reação dos pais e das outras pessoas, mas isso nos limita muito. Tem momentos que eu fico muito ansioso para vê-lo e quando as coisas dão errado e ele não pode vim, eu fico muito irritado, e não quero mostrar esse meu lado violento para ele. Jamais. O único que conhece esse meu lado é o ChunJihyung que tem minha idade e conhece quase todos os meus segredos, somos quase irmãos. Pena que nem para ele pude contar sobre o meu namoro, pois meu amor pelo Maknae é maior.

Estava tentando prestar atenção no filme quando tudo começou a ficar distante e cai no sono. O que me mantinha meio acordado era os gritos vindo da televisão e o cheiro dos cabelos do meu namorado que me deixava ainda com mais vontade de abraçá-lo forte. Poucos segundos depois, estava eu em cima de uma moto, dirigindo em alta velocidade e ouvindo os gritos da plateia. Era uma competição muito louca. Podia sentir o vento frio em meu rosto e ouvi a torcida me motivando. Eu iria vencer e levar o prêmio para casa. Meu prêmio era o ChangJo e eu corria mais rápido para terminar a corrida em menos tempo e tê-lo para sempre.

- L.Joehyung! L.joehyung! Hyung! - o ChangJo não parava de gritar meu nome, torcendo pela minha vitória, o que me fazia querer vencer ainda mais. Estava perto da linha de chegada... Cheguei! Eu venci! Eu venci! Podia ver a felicidade no sorriso do meu amor, mas ele não para de chamar o meu nome – L.joehyung, Amor, Lee Byung Hun!!

Abracei-o forte e ele me deu um beijo... Acordei. Ele realmente estava me beijando. Que beijinho lindo. Podia sentir o gosto adocicado em seus lábios e aquele perfume que me apaixonava. ChangJo logo se afastou e franziu o cenho:

- Amor, achava que você não ia acordar mais. O filme já acabou e eu assisti sozinho – fez biquinho – são 17 horas já.

- Me perdoe, Maknae. É porque estava tudo tão confortável que eu não aguentei, rs. Quer comer algo?

- Quero sim, Amor. Mas já já vou ter que ir - fazendo carinha de cachorro abandonado.

- Mas já? Amor, hoje é sexta-feira, quer ficar aqui essa noite?

- Minha mãe não deixaria.

- Eu falo com ela e nós aproveitamos para revisar seu conteúdo. Eu te ajudo a estudar.

- Estudar? Ai não, Hyung! Você fala mesmo com a minha mãe?

- Claro! Ligue, meu bebê.

Falei com a mãe do ChangJo e consegui convencê-la de que ficaria tarde para ele voltar hoje; falei que ele precisava estudar bastante e que eu iria ajudá-lo. Também disse que era um amigo da escola, maior de idade e que ele estaria em boas mãos esse fim de semana. Ela terminou permitindo que ficasse até o Domingo.

- Viu, Amor? Consegui. Agora, você vai aproveitar para estudar. Quero que fique de férias logo.

- Obrigado, L.Joehyung. Mas como faço? Não trouxe roupa, nem nada.

- HumHumHum. Aqui só moram meninos, bobinho, roupa é o que não falta. Vamos preparar algo para comer? Vem comigo à cozinha, Amor?

- Ah! Claro! Eu te amo muito, Hyung. MUITO Mesmo!

- Eu também, bobô.

Autora P.V


L.Joe pediu para seu namorado sentar-se à mesa da cozinha enquanto preparava algo para comerem. Fez alguns sanduíches e preparou um chocolate quente delicioso. Ele sabia mesmo cozinhar e depositava todo o seu carinho para que ficasse ainda melhor.

ChangJo comeu contente e elogiando a comida o tempo todo:

- Amor, que gostoso! Hummm! Delicioso. Como você fez, hein?

- Que nada, Neném. Isso é fácil de preparar. Coma bem. Quer biscoitos?

- Quero sim! Adoro biscoitos.

Comeram bem e arrumaram tudo juntos. Já estava de noite. Eles foram até a sala e sentaram-se no sofá. L.Joe pegou a mochila de ChangJo e entregou-o.

- Amor, pegue o conteúdo da prova que você não passou.

- Owmmm, Hyung, não quero estudar agora! Vamos fazer outra coisa... - o silêncio tomou conta do local quando ChangJo percebeu que não tinha muitas coisas para fazerem. Ficou com vergonha por está a sós com seu namorado naquela casa. Eles nunca ficaram tão sozinhos por tanto tempo. Muito menos por uma noite toda – Hyung, o ChunJihyung volta hoje? - tentando mudar de assunto e abrindo o caderno.

- Não. ChangJo, desculpa não poder te diverti aqui, mas não temos muito o que fazer. Comprei o filme para te distrair, mas a verdade é que eu queria poder jogar, passear, ir ao parque com você, tomarmos sorvete, ir ao cinema... coisas de casal. No entanto, você me limita muito com essa sua vergonha de admitir que me ama para todos. Eu quero poder abraça-lo, acariciá-lo e beijá-lo na frente de todos, ou sozinhos, mas você não me dá espaço. Agora quero que pelo o menos estude para poder ter mais tempo comigo e não quero que você tenha mais problemas com sua família. - L.Joe já estava um pouco alterado e sem perceber, começou a falar demais. Estava nervoso e não conseguia se conter, pois infelizmente o assunto envolveu seu namoro escondido e ele ficava muito fragilizado com isso.

ChangJo baixou a cabeça e ficou quieto. Cada palavra que seu namorado falava parecia uma onda devastadora que entrava em sua mente e machucava seu coração. Se sentiu pressionado. Por um instante, aquele que o compreendia parecia seus pais, então se sentiu sozinho... seu coração apertou e seus olhos encharcaram. Ele não era muito de chorar, muito menos gostava de demonstrar fraqueza.

- Des... desculpe-me, L.JoeHyung – a voz do Maknae saiu trêmula e deixava perceptível que estava chorando, embora ele tentasse conter aquela dor para não demonstrar.

O mais velho se sentiu como a pior das criaturas. Sem querer, fez algo que não queria. Machucou seu bebê e o fez chorar. Ele pediu perdão e abraçou o ruivinho.
Seus braços o envolviam, mas ChangJo não se moveu. Ficou quieto na mesma posição de antes.

- ChangJo, eu não queria te machucar. Me desculpe, por favor? Eu quero que estude porque quero seu bem. Você é muito inteligente e cansei de vê-lo sendo caçoado pelos alunos daquela escola. Cansei de ver meu neném explodindo de raiva dos próprios pais. Não quero que te façam de bobo e nem que digam o que você deve fazer. Quero te ter mais perto porque eu te amo muito, Maknae.

- Não me chame assim, por favor – falou o mais novo um tanto sério. Se afastou um pouco do L.Joe e abriu na matéria da prova – Vamos estudar então, Hyung?

---------- ------------


Pessoal, gostaria de comentários e saber o que acharam. Críticas, sugestões... participação em geral ^-^
Obrigada! =)
Demorei a postar, por que não vi nenhum comentário. =/
De toda forma, Obrigada a todos que leram ^^
Espero que gostem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.twitter.com/angel_belliki
belphegorchan
Novo Membro
avatar

Mensagens : 4
Data de inscrição : 04/10/2012
Idade : 26

MensagemAssunto: [Teen Top] My First Love - Capítulo 3 "Amor"   Qui Out 25, 2012 10:53 pm

FANFIC

Classificação: +16 (E a parte Lemmon +18. Quem for de menor, pule esta parte. Não me responsabilizarei pelo o que você lê)
Categorias: Teen Top; ChangJo; L.joe; C.A.P; Ricky; Niel; ChunJi.
Gêneros: Romance, Drama, Yaoi (Lemmon).
Avisos:
É uma Fanfic baseada na BoyBand Coreana Teen Top e é uma ficção Yaoi Romântica, nesse capítulo
CONTÉM LEMMON. Se não gosta de Homem com Homem, não leia. XD
É uma Fanfic especial para ANGELS, para quem gosta de K-Pop ou curiosos.
Espero que gostem.
Obs: Teen Top não me pertence! É apenas uma ficção de uma fã.

MY FIRST LOVE




CAPÍTULO 3 – Amor

ChangJo P.V




Estudamos a noite toda. Era psicologia uma disciplina muito chata que me deixava psicologicamente muito confuso. O L.Joe dominava muito bem aquele assunto e me ensinou detalhe por detalhe. Passou horas repetindo calmamente e eu não compreendia. Ele é realmente demais. Não sei onde arruma tanta paciência, nessas alturas, eu já tinha gritado comigo para deixar de ser burro. Ele teimava tentando me convencer de que era fácil. Freud, o nome daquele cara me deixava louco, e o Hyung repetia:

- Amor, essa parte não é difícil. São as "Fases do Desenvolvimento Psicossexual", dentre elas destacamos a fálica, a genital, a anal e a oral, não nessa ordem, e ainda existe o período de latência.

- Período de que? Qual a ordem? Quais são mesmo? Não entendi mais nada. L.Joehyung, me desculpa, mas podemos parar um pouco? É porque preciso de um banho. - Eu não estava mais aguentando. Não que ele não soubesse ensinar, mas já passavam das 22 horas e eu estava cansado e com muita fome.

- Ah! Claro que sim, Meu Amor. Desculpa explorar tanto de sua mente, mas é porque você interrompe muito e não da para explicar desse jeito. Enfim, está tarde. Vá tomar um banho quentinho. Acho que vou preparar algo para comermos.

Ele separou uma toalha limpinha e umas roupas. Eu não sabia, mas ele tinha um pijaminha de pintinhos amarelinhos, muito engraçado, porém tinha certeza que nele ficaria a coisa mais fofa. Me entregou um pijama todo verdinho e disse que comprou para mim quando fosse ficar a noite lá e essa era a ocasião. Ele sabia que eu adorava a cor verde. Com isso ele mostrava o quanto prestava atenção em mim, o que me deixava cada vez mais feliz.

- Vá, Maknae. Está com fome, não é? Vou fazer um lanchinho para comermos. Depois eu tomo meu banho.

- Estou com fome sim. Vou indo. Obrigado, Hyung.

- Por nada! ^-^

Entrei no banheiro e fui tomar banho. Ah! Como aquela água minha fazia bem. Escorria pelas minhas costas e aquecia o topo da minha cabeça. Era uma banho um tanto delirante. Consegui afogar todo o cansaço e relaxei o máximo. Após o banho me sequei e enrolei a toalha na cintura. Fui até próximo a um espelho que dava para me ver por inteiro. Eu estava vaidoso demais, não consegui parar de olhar para o espelho apreciando a mim mesmo. Me olhava de cima a baixo, enquanto tirava a toalha do meu redor e secava meus cabelos. Me vesti com o pijama e sai do banheiro.

- Amor, terminei - Acenei.

- Venha, Maknae. Sente-se aqui já está pronto. Vou tomar banho, enquanto come, pode ser?

- Você já comeu, Hyung?

- Eu quis te esperar, na verdade eu nem quero comer. Se quiser que eu te acompanhe enquanto janta, eu ficarei.

- Hyung, vá tomar seu banho. Você está cansado. Eu posso comer sozinho.

- Tudo bem, Maknae. Vou indo então. Não demoro, ok?

E como ele me conquista com cada preocupação ou cuidado. Ele me ama muito e para mim é o que importava. Mas eu não aguento vê-lo se sacrificando por mim. Não demorou muito para terminar o banho, muito menos para eu acabar a refeição. Mas quando ele saiu do banheiro, eu já havia limpado os pratos. Fiquei satisfeito por ter o ajudado. L.Joe estava mesmo muito engraçado com aquele pijama de pintinhos, estava muito cheiroso. Havia até escovado os dentes. Estava preparado para dormir. Ele me abraçou e agradeceu com um selinho por ter arrumado a cozinha.

Quando chegou a hora de dormir, suei frio. Não sei ao certo, mas me sentia muito desconfortável de
dormir a noite na casa dele. Não que alguém pudesse pensar algo de dois amigos numa casa, mas éramos um casal e eu tinha receio.

- ChangJo, você quer dormir, comigo?

Aquela pergunta transformou o resto de minha coragem, em vergonha. Comecei a tremer e podia sentir o ar se tornar escasso em meus pulmões. O que eu podia responder? Minha bochechas queimavam e eu não sabia onde enterrar a minha cara.

- Maknae? Está tudo bem?

- Nós dois... sozinhos? - não sei como consegui falar isso. Pude ver as bochechas dele corando quando entendeu como eu me sentia.

- Ah!... Bem... tem algo de errado? Somos namorados e vamos APENAS dormir, Amor. - percebi ele dando ênfase no "Apenas", o que me tranquilizou, mesmo assim ficar tão pertinho do meu hyung... eu fico sem jeito.

- Tudo bem, Hyung. Era só uma pergunta. Quero sim ficar com você, mas claro que é só se você também quiser.

- É o que mais quero, bobô - Ele me constrangeu. Me deixou sentimentalmente apaixonado, porém sem reação de tanta vergonha. Por que será que ele queria tanto dormir comigo? Eu podia me desesperar? Não. Era melhor eu ficar tranquilo.

Ele me convidou a entrar mais uma vez no quarto; ajeitou os lençóis e ligou o ar condicionado; fechou a janela e a cortina. E me entregou uma escova de dente nova que ele tinha no armário. Escovei os dentes no banheiro do quarto e me deitei na cama. Ele se deitou ao meu lado após apagar as luzes deixando apenas um abajur aceso.

- Boa Noite, Changjo-ah. Vem cá? Fica mais próximo - Eu tremia, mas ele me passava segurança. Eu sabia que estava protegido. Não que eu me sentisse indefeso, mas ele era aquele que fazia me sentir confortável o suficiente para dormir sem pensar que pudesse acontecer algo de ruim.

- Uhum... posso te abraçar, Hyung?

- Como? Quer deitar com a cabeça em cima do meu braço?

- Pode ser? Quero poder sentir seu perfume, está muito agradável.

- Claro que pode, ChangJo-ah. Você gostou desse creme de pele? ^-^

- Gostei... é muito cheiroso - deitei minha cabeça em cima de seu braço e o beijei. Ele segurou meu rosto com carinho com a outra mão, alisando minhas bochechas e aumentando o beijo. Meu coração queimava muito. Muito bom, até que comecei a ficar um pouco ofegante, estava muito envolvido. O mundo havia parado, só existia eu e ele naquele lugar, eu não ouvia nada além de nossas respirações e os movimentos nos lençóis. Eu sentia sua língua quente e sua boquinha abrindo e fechando em meus lábios. Ele era muito tentador. Sua mão descia da minha bochecha para meus cabelos, apertando um pouco.
Eu já não conseguia mais parar. Comecei a gemer, em resposta a meu corpo que pedia o dele. Joe subiu de leve por cima de mim, enquanto me beijava. Todos os movimentos eram bem devagar e bem executados. Ele me dava muito carinho e eu não conseguia ficar nervoso, pois não pensava em outra coisa que não fosse ele.

- Hyung, você é tão quente - consegui sussurrar quando afastamos um pouco nossos lábios e abri meus olhos.

- Quente? Deve ser por que o quarto está frio, Amor - Sua expressão já não era mais tão gentil ou sério, ele tinha uma feição de êxtase e de quem estava muito concentrado. Ele me olhava com amor, eu podia sentir - ChangJo, te quero - ele me olhava profundamente.

Eu não sabia o que responder, só queria que não saísse mais de perto de mim.

Ele me prendeu entre suas pernas, seus joelhos apoiados na cama cercavam meu corpo. Segurou meus pulsos para cima de cada lado, próximos a cabeça e voltou a me beijar. Seu corpo estava um pouco distante do meu, mas era recompensado com aquele beijo apaixonado mais uma vez. Ele estava totalmente no controle daquilo. Sua saliva escorria de sua boca para minha bochecha quando começou a beijá-la com beijinhos macios e molhados. Desceu para minha orelha, o que fez me arrepiar todo, eu mantinha os olhos fechados para sentir apenas os toques dele. L.Joe sabia como me fazer delirar. Não sei se era por ser ele, ou porque eu gostava daquele carinho, acredito que seja o conjunto das coisas.

Comecei a gemer um pouco alto, enquanto escutava sua respiração e seus lábios pequenos e linguinha quente passando pela minha orelha e descendo para meu pescoço. Ele dava algumas mordidinhas, chupões, beijinhos, lambidas, não sei ao certo, só sei que era muito bom mesmo. Enquanto isso ele apertava meus pulsos com um pouco de força e mexia seu corpo como se estivesse um pouco incomodado com algo, ou quisesse fazer algo.

- Chang... você confia em mim? - que pergunta mais idiota ele me fez. Era claro que eu confiava, mas ele era muito doce e não largava de ser tão cuidadoso.

- Confio muito, Hyung.

- Está com medo? - ele sussurrava em meus ouvidos

- Não, Amor... - a única coisa que eu sentia era muita vontade de ficar com ele.

Acho que era tudo que ele precisava ouvir para se soltar um pouco mais. Voltou a me 'torturar' com aqueles beijinhos no pescoço. Me estremeci por completo. Eram beijinhos vagarosos e com muita intensidade.

Senti uma de suas mãos soltarem do meu pulso e descerem para a base da minha camisa do pijama. Ele levantou um pouco minha camisa e começou a beijar minha boca novamente. Nossas salivas se misturavam enquanto nossas línguas brincavam na boca um do outro. Ele virou seu corpo um pouco de lado colocando uma das pernas entre as minhas. Levantou a minha camisa deixando meu abdomem despido e desceu para beija-lo, novamente com aqueles beijos molhados. Ali eu já não pude mais controlar meus gemidos e saiu um pouco mais alto, e quanto mais eu gemia mais parecia que o instigava a continuar. Ele subia fazendo caminho com sua boquinha deixando rastros com sua saliva e começou a beijar meus mamilos, alternando para lambidinhas.

- Annrghh... Hyung... - eu não conseguia falar outra coisa que não fosse chamar por ele.

Ele não me respondia, sabia que eu gostava pelas minhas reações. Após beijar um pouco ali, voltou para minha boca. Chegando próximo ele sussurrou dizendo que me amava muito e voltou a me beijar. Eu estava perdidamente apaixonado por aquele cara e queria que ele fizesse o que quisesse comigo. Contando que fosse ele, não me importava com mais nada.

Ele se afastou um pouco e eu abri os olhos de leve, tentei ver como estava seu rosto. Quando olhei para Joe, ele estava todo corado, era a coisa mais linda que eu já vi em toda a minha vida. Percebi que ele estava um pouco tenso ou temeroso, mas sem conseguir se controlar muito. Não queria o deixar preocupado só queria que ele se sentisse bem e queria corresponder a todo aquele amor que ele me dava.

- Hyung, eu te amo. Continua...

Com o meu pedido que mais parecia uma permissão ele fechou os olhos e me beijou novamente. Dessa vez, ele se deitou descansando todo seu corpo sobre o meu, suas pernas estavam apoiadas novamente na cama dessa vez, não só os joelhos. Seu corpo todo encostava no meu. Ele instintivamente começou a se movimentar em cima de mim enquanto me beijava. Eu fiquei um pouco constrangido, porque dava para sentir a excitação de seu membro, mas deixei-o fazer o que quisesse. Ele era tão bonitinho fazendo aquilo. Se afastou um pouco seus lábios e começou a gemer. Eu ainda não havia escutado um gemido dele até aquele momento. Foi muito excitante. Senti um frio enorme passar pela minha barriga. Eu não sabia mesmo o que fazer.

Ele parou um pouco os movimentos, apoiou-se nos cotovelos e passou as mãos pelo meu rosto apertando minhas bochechas e voltou com aqueles beijinhos molhados. Puxou meu cabelo com um pouco de força, o que me fez gemer de novo.

- Chang, Eu te amo! - não me deixou responder, me beijou de novo na boca e começou a descer.

Desceu para meu pescoço, mamilos (demorou um pouco ali), barriga e continuou descendo, deixando os rastros molhados por onde beijava. Eu queria que ele continuasse descendo e ele o fez. Baixou um pouco minha calça e minha roupa íntima. Fechei os olhos com medo e muita vergonha. Ele começou a 'beijar' aquele lugar. Gemi alto, era muito bom e prazeroso, ao mesmo tempo eu estava morrendo de vergonha, mas me lembrei que era o Joe que estava comigo e relaxei.


[PARE! AQUI É A PARTE LEMMON]


L.Joe segurou meu membro e começou a chupar a extremidade. Ele queria mesmo me matar. Era muito prazeroso, não dava para parar de gemer. Ele fazia movimentos com as mãos enquanto acariciava com a língua. Tentou por tudo na boca, e eu não precisava ver para saber que ele conseguia fazendo movimentos de entra e sai deixando ali super lubrificado. O Hyung estava me deixando louco de prazer. Eu estava delirando. Quase implorava para ele me chupar mais e mais, mas estava muito envergonhado e nem precisava, ele já fazia. Ele ficou ali por um bom tempo e não pude evitar, cheguei ao ápice em sua boquinha. Enchi sua boquinha com meu gozo e ele não reclamou, muito pelo contrário, parecia que estava esperando e engoliu tudo. Meu corpo estava fraco, parecia que toda minha energia tinha saído através daquilo.

Ele ajeitou minha roupa e me virou com carinho. Fiquei de costas para ele. Estava cansado e fechei os olhos. Senti suas mãos baixando minha calça devagar, não fiz nada, apenas deixei que ele desfrutasse como quisesse. Se deitou por cima de mim, me beijou no pescoço e falou no meu ouvido:

- Gostou, Amor? Posso Continuar? - por que ele me pedia? Eu queria apenas ele comigo. Aquele momento era nosso e eu queria que nunca acabasse.

- L.Joehyung... Não quero que isso acabe. Continua...

Voltou com aqueles beijinhos, dessa vez, descendo pelas minhas costas deixando seus rastros. Mesmo um pouco cansado, ainda sentia aquelas sensações de excitação percorrerem meu corpo e me arrepiava com aqueles beijos. Não pude ver o que ele fazia, mas sentia que ele passava as mãos pela minha bunda e apertava com firmeza. Ele se sentou entre minhas pernas, deixando-as entre abertas. Depois de alguns carinhos com as mãos, senti algo molhado forçar a minha entrada. Fiquei um pouco tenso. Tremi, mas o ouvi dizendo "Está tudo bem, Amor, relaxe" e me tranquilizei. Aos poucos aquilo foi entrando devagar, sem machucar, apenas me deixava tenso. Pude perceber que era um de seus dedos lubrificados, em seguida senti outro dedo. Como eu estava relaxado, aquilo era um tanto prazeroso. Ele começou a movimentar seus dois dígitos dentro de mim. Senti prazer. Muito prazer, era como se eu não pudesse mais fazer nada a não ser me deixar dominar por aquele cara que eu tanto amava. Depois, senti o terceiro, estava tudo muito lubrificado. Não doía. Na verdade não muito, por que eu queria muito aquilo e meu corpo pedia. Depois que me acostumei um pouco, ele ficou movimentando rápido, mas sem força me fazendo gemer de volta.

Ele serpenteou sua outra mão pela minha cintura e colocou-a por dentro da minha calça segurando novamente meu membro e começou a me masturbar. Era muito forte aquele prazer nas duas extremidades do meu corpo, e comecei a gemer sem querer parar. Senti seus dedos saírem rápido de dentro, enquanto seu corpo se aproximava do meu, substituindo os dígitos por algo um tanto maior e mais rígido, mas ainda sim muito lubrificado. Eu sabia o que era. Doeu um pouco, mas eu me preparei fisicamente para recebê-lo e entrou rápido. L.Joe se deitou por cima de mim e se apoiou em um dos cotovelos e a outra mão continuava segurando meu membro. Até que soltou um pouco para conseguir uma posição boa para se movimentar.

Quando chegou na posição adequada, começou a se mover vagarosamente. Seu rosto estava próximo do meu ouvido e ele me perguntava a todo instante, se estava doendo. Eu não queria saber da dor, tudo o que me importava era aquele corpo coladinho ao meu e seus gemidos baixinhos. Era muito perfeita aquela sensação de ser preenchido por ele e saber que o Joe estava querendo muito aquilo.

- Chang... posso... uhmmmrh... fazer um pouco mais rápido?

- Com certeza... Continuagrhh... Não me pede, Amor... Não tenha medo... Isso é muito bom...

Com isso, ele tirou sua camisa e a minha, se apoiou nas mãos, deixando seu corpo um pouco inclinado e começou a se movimentar um pouco rápido. Rápido até demais e gemeu mais alto. Voltei a sentir frio na barriga. Ele não parava de se movimentar. Estava fazendo muito rápido e aquilo estava me matando de prazer. Ele estava muito perto de mim, da forma mais próxima que um casal poderia estar. Diminuiu um pouco e parou para poder me virar para si. Saiu de dentro de repente, doeu um pouco, mas logo me virou, tirou minha calça e cueca, levantou minhas pernas colocando apoiadas em seus ombros e me penetrou de novo. Não deu nem tempo de reclamar por alívio. Ele apoiou-se nas mãos sobre a cama e eu o segurei pelo pescoço com meus braços, trazendo seu rosto um pouco próximo do meu. Ele me beijou e segurou em meus ombros, voltando aos movimentos. (Só aí eu percebi que ele já havia tirado sua roupa, enquanto tentava me penetrar no outro momento). Ele me encarava com aquela carinha de tesão, o que me deixava todo sem graça. Ele voltou a estocar rápido mordendo os lábios inferiores. Ele me excitava muito com essas expressões. Meu membro implorava por algum toque e ele se aproximou fazendo desliza-lo pelo seu abdomem. Estava tudo muito perfeito, só não sabia que podia melhorar. L.Joe perdeu um pouco o controle e começou a se movimentar rápido demais, parecia que estava chegando ao ápice quando sem querer atingiu um ponto que me levou a puro delírio. Ele havia atingido algum lugar dentro de mim, que me dava mais do que prazer e como se movia rápido demais, passou várias vezes por aquele lugar que eu não sabia ao certo o que era. Meu corpo todo chegou a êxtase puro e comecei a gritar de prazer, até que gozei mais uma vez, dessa vez não sozinho. O Hyung, se desfez dentro de mim com alguns gritinhos e gemidos.

Fiquei um pouco tenso por ter sujado toda sua barriga com meu semem. Mas ele não se preocupara com isso. Saiu de dentro devagar, deixou que minhas pernas descansasse na cama e deitou-se por cima de mim, colocando a cabeça por cima do meu peito. Eu fechava meus olhos ofegante e ele também. Ficamos ali até nossas respirações voltarem ao normal.


[FIM DO LEMMON - CONTINUE]


- Chang... Eu te amo. Muito. Estou tão feliz de ter te feito meu. Eu sempre quis isso.

- Hyung, você é tudo para mim. Eu te amo. Você me fez ter a melhor noite da minha vida.

- Como isso me alegra, Bobô. Saber que você gostou de tudo que te fiz, eu me sinto tão forte e cheio de vida. Rs

Eu acariciava seus cabelos e ele fechava os olhinhos. Passamos um tempo conversando sobre o por que de nos amarmos tanto. Aos poucos fomos pegando no sono e dormimos juntos. Foi o melhor momento da minha vida. Eu amo o L.Joe.



-------------- -----------------

Gostaram? Comentem! ^^

E essa parte que fala de Psicologia, me baseei pelos Processos Psicossexuais das Teorias de Freud e suas fases! XD

É a base do Referencial. ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.twitter.com/angel_belliki
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: [Teen Top] My First Love    

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
[Teen Top] My First Love
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Love.Might.Kill
» Beautiful Love e Nardis(solos de Bill Evans)
» Eric Clapton - Bad Love Bass
» [Fic] Dangerious Love
» Love Still Goes On é considerado inapropriada pela MBC

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
FanFictions Wonderland :: FanFictions :: Kpop-
Ir para: